Perfumaria e Cosméticos

Perfumaria e Cosméticos
Compre os seus produtos de beleza on-line.

Escola Bíblica Dominical - 2º Trimestre 2017 - Lição Nr 09

quarta-feira, 26 de abril de 2017

O Tabernáculo...

O Tabernáculo - A Casa de Deus - Redenção e Remissão Pelo Sangue de Jesus


Tanto a bíblia, como a Torah começam com a letra Bet בּ, empregada na primeira palavra das escrituras, Bereshit בְּרֵאשִׁי , 'no princípio'.
Bet significa [bayit בית , 'casa']. A idéia de casa é um conceito básico que está presente em três níveis, tanto no material, como no da alma e da espiritualidade.
No nível material, casa é referida como a construção que experimentamos passar muitas horas da nossa vida, como quando voltamos do trabalho, da escola ou da igreja.
Esse é o mais básico sentido da palavra, que quer dizer prédio ou construção.
Nós estudamos, nos divertimos, trabalhamos ou vivemos em algum tipo de prédio, seja em uma casa baixa, de um andar apenas ou de vários. Casa aqui traz esse significado implícito que compreende toda a realidade física, concreta e palpável.
No nível da alma, o corpo é a casa da alma. Todas as pessoas vivem essa experiência, mesmo que não acreditem, de terem suas almas habitando dentro de si mesmos.
E no nível espiritual, toda a criação é uma 'casa' intimamente relacionada à habitação divina. Isso explica o porquê das escrituras serem iniciadas com a letra Bet (casa), pois da perspectiva de Deus, o mundo e o universo inteiro constituem a sua morada.
Veja que a palavra Bereshit 'no princípio' pode ser quebrada em outras duas, Bayit בית 'casa' e Rosh רֹאשׁ 'cabeça'. Ao que parece querer transmitir uma grande verdade, Deus é o 'cabeça' da criação, que realiza nesta realidade e neste universo a sua 'casa'.
tabernaculoO Tabernáculo no Centro das Doze Tribos de Israel.

E é enigmático as razões e os motivos que Deus teria para desejar uma habitação em um nível mais baixo, como a que este mundo físico representa. Mas somos ensinados pela sua palavra que este mundo foi criado para que o ser humano pudesse existir.
Assim, na verdade, esse desejo de Deus por habitar essa realidade mais baixa, seria motivada na sua soberana vontade de encontrar a sua veradeira casa, aquela que Deus amou, e que ama habitar, e hoje sabemos que o Senhor realiza a sua morada em nosso coração e em nossa alma, à quem devemos construir a nós mesmos como sua casa santa.
O Tabernáculo [do hebraico משכן‎, mishkan, "residencia" ou "lugar de habitação"] seria assim o primeiro passo, ainda que provisório e representativo, para que o Altísssimo, quem está presente na mais alta e poderosa luz, pudesse realizar o seu ardente desejo de habitar junto ao humilde e ao quebrantado de coração.
Naquela tenda, Deus desceu para acampar juntamente com seu povo. Desta forma, os Hebreus puderam ver a auto-revelação de Deus, pois o modo como Ele se fazia presente mostrava e remetia à sua vontade de não ser somente uma divindade, mas muito mais além, de se fazer amigo dos homens.
Neste sentido, essa é a mensagem central da bíblia. Quando nós lemos a Torah, os livros de Moisés, podemos perceber a história de Deus visitando o homem, que culmina com o Senhor acampando juntamente com o homem no deserto, em um tabernáculo desenhado e projetado para manifestar o seu propósito, poder e a glória da sua divina presença.
O Novo Testamento, de forma semelhante, traz essa brilhante narrativa que descreve como Deus 'acampou' definitivamente com o ser humano.
"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." João 1:1
"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade." João 1:14
O fato é que Deus criou o homem para um profundo relacionamento de amizade e comunhão, e Ele não desistirá até que esta comunhão seja restaurada totalmente, não apenas no mundo físico, mas também no plano espiritual, nos céus por toda a eternidade.
"Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer." João 15:15
Assim, o Tabernáculo representava dois fatos importantes na vida dos filhos de Israel. Representava a presença de Deus no meio do seu povo, a quem Ele havia chamado da escravidão do Egito, sendo fixado no centro do acampamento.
E também tipificava o meio pelo qual o homem pecador poderia se aproximar de Deus, que noutro tempo era inacessível, pois o ser humano não sobreviveria à sua santíssima glória e a sua inefável majestade.
O Tabernáculo foi objeto de ensinamento para os filhos de Israel por aproximadamente quinhentos anos, desde Moisés até Davi. Foi só no reino de Salomão que ele foi substituído por uma construção mais duradoura, o grande Templo de Salomão.
E neste estudo vamos ver melhor esta tipificação de Jesus, pois o simbolismo do tabernáculo encontra o seu cumprimento em Jesus Cristo. Ele é o Sacerdote, o Altar e o Sacrifício.

O Estabelecimento do Tabernáculo

Quando Surgiu

Os filhos de Jacó, que foram peregrinos na terra de Canaã, se tornaram o povo redimido por Deus, segundo a promessa feita aos patriarcas Abraão e Isaque. E eles estavam saindo do Egito pela mão forte do Senhor, sendo libertos da escravidão. E para que Deus pudesse morar no meio deles, teriam que atravessar o Mar Vermelho para que a redenção fosse completada.
Deus costumava visitar a Adão no Jardim do Éden, e se comunicou aparecendo aos patriarcas da nação israelita, porém até que Ele tivesse redimido o seu povo para fora do Egito, nada é revelado sobre a construção de um santuário para que Ele pudesse habitar.
O Tabernáculo era a prova de uma redenção, alcançada pela compra através do poder. Uma promessa de que não só os israelitas ficariam abrigados e protegidos debaixo do sangue do cordeiro aspergido no altar. E eles atravessaram o Mar Vermelho pelas mãos que detêm o poder e a autoridade.

O Local

O Tabernáculo não foi erguido no Egito, nem previamente em Canaã, mas sim no meio do deserto. E há uma mensagem muito importante neste fato. O Egito, a certa altura da história, passou a representar a terra da idolatria, do pecado e da escravidão. Por isso, lá não havia lugar para a habitação do Senhor.
Devido ao simbolismo da presença de quem representava, o Tabernáculo também não poderia ter sido construído anteriormente na terra prometida.
O Tabernáculo foi erigido específicamente para o povo que estava peregrinando no deserto, com o Egito atrás deles, e a terra de Canaã, a terra prometida à sua frente. Esse ensinamento é tremendo e está intimamente relacionado à nossa vida como peregrinos neste mundo, enquanto fazemos o nosso caminho para a Canaã celestial.
Essa nossa existência é o nosso 'deserto' à caminho da 'terra prometida' por Jesus, a habitação celeste.
O Tabernáculo, enquanto estava no deserto, sempre foi montado sobre a areia, e não havia piso ou algo que cobrisse o solo, fazendo com que o sacerdote ficasse com seus pés em contado direto com a areia do deserto. Isto era para lembrá-los que eles estavam em uma jornada e não tinham chegado ao destino final.
Esta é uma outra lição profunda de que o nosso destino, o nosso descanso não é neste mundo. Temos por destino uma alta e elevada pátria, coisa que muitos não podem compreender. É algo que está na dimensão espiritual.
o lugar santo e o santo dos santos no tabernáculoO lugar Santo e o Santo dos Santos.


O Propósito do Tabernáculo

Por quase quinhentos anos o Tabernáculo serviu como o lugar para que Deus habitasse no meio do povo de Israel e como local onde os seus filhos pudessem ter comunhão com Ele. Por toda a história de Israel, o povo teve uma tendência a se envolver com a idolatria.
Mesmo em tempos de idolatria, o Tabernáculo permaneceu como uma testemunha silenciosa, que lembrava visualmente ao povo da aliança do verdadeiro e único Deus. Ele ajudou a manter Israel longe do culto aos ídolos, que era praticado pelos povos ao redor, enquanto estavam peregrinando pelo deserto.
Embora o Tabernáculo tenha tornado possível a acessibilidade à Deus pelos israelitas, era somente permitido uma aproximação com o devido temor e santidade. A estrutura e o serviço do Tabernáculo mostrava ao pecador como ele deveria chegar diante da santidade de Deus, para o servir, adorar e oferecer o sacrifício pelos pecados.
Cada aspecto do Tabernáculo, como o altar de bronze onde eram oferecidos os sacrifícios pelos pecados, e até a figura do sumo sacerdote, quem ofertava o sangue sacrificial no propiciatório, apontava para o plano da redenção do homem, traçado por Deus.
O povo só poderia se aproximar de Deus através do sangue expiatório e de um sacerdócio intercessor. Ambos são figuras belíssimas que se tipificam no ministério de Jesus, que deixou a sua habitação celeste para morar com o seu povo.
Em Cristo nós temos o Sumo Sacerdote e o perfeito sangue para expiação dos pecados de todos aqueles que o reconhecem e que Nele confiam.

Local Central do Culto

O Tabernáculo era o ponto central da comunidade e da vida dos filhos de Israel. As doze tribos acampavam em torno de seus quatro lados. No lado esquerdo, habitavam aproximadamente 186 mil pessoas das tribos de Issacar, Judá e Zebulom. No norte estavam 157 mil das tribos de Aser, Dan e Naftali.
No lado direito residiam 108 mil pessoas das tribos de Manassés, Efraim e Benjamim. Ao sul estavam 151.400 das tribos de Simeão, Ruben e Gade. Sem contar Moisés, Arão e os Levitas que eram aproximadamente 22.300 pessoas alocadas em todos os quatros lados do Tabernáculo.
O número de homens acima dos 20 anos, sem incluir os Levitas, era de 603.550. Incluindo as mulheres e crianças, o número de pessoas acampadas ao redor do Tabernáculo girava em torno de 2 milhões e meio a 3 milhões. E com os animais que os Israelitas trouxeram do Egito, fazia desse um acampamento gigantesco no meio do deserto.

As Medidas do Tabernáculo

O átrio exterior media 45,72m de comprimento por 22,86m de largura, fechado por uma cortina de linho fino trançado de 22,28m de altura. O seu portão estava localizado no lado oriental do átrio e media 9,14m de largura.
A cortina de linho fino trançado era sustentada por 60 pilares feitos de madeira de acácia coberta com bronze.
O Tabernáculo, propriamente dito, tinha 13,71m de comprimento por 4,57m de largura e 4,57m de altura. E estava dividido em duas seções, o lugar santo (4,57m de largura x 9,14m de comprimento), e o santo dos santos (4,57m x 4,57m).

O Altar de Bronze

O altar de bronze estava localizado no átrio externo, próximo ao portão, logo à frente do Tabernáculo. Os sacrifícios eram oferecidos neste altar, e o sangue dos animais ofertados era derramado pelos pecados do povo.
O altar de bronze tipificava a obra redentora de Jesus Cristo na cruz em nosso favor, onde todos aqueles que crêem no seu sangue derramado são justificados e recebem a remissão de seus pecados. Assim como era impossível para os filhos de Israel entrar na presença de Deus sem sacrificar primeiro no altar de bronze, igualmente hoje em dia é impossível se chegar a Deus sem invocar primeiro a graça redentora do sacrifício eterno de Jesus na cruz.
altar de bronzeO Altar de Bronze no Átrio Exterior.

A Pia de Bronze

A pia de bronze também ficava no átrio exterior, entre o altar de bronze e o Tabernáculo. A pia era de uso exclusivo dos sacerdotes, que tinham que se lavar antes de entrarem no Tabernáculo. Enquanto se lavavam na pia de bronze, podiam ver seus rostos refletidos em espelhos. Era um lembrete de como Deus os via.
A pia falava de Jesus, como aquele que nos santifica. Somos lembrados de que Cristo nos santifica pela lavagem dos nossos pecados, através da água viva que é a sua palavra.
"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra" Efésios 5:26
Depois de se lavar na pia, o sacerdote andava alguns passos e entrava no lugar santo, onde poderia conversar com Deus, em um relacionamento de profunda amizade. Deus gosta de gente. Deus ama o ser humano e deseja ter essa amizade, esse relacionamento com todos nós.
pia de bronzeA Pia de Bronze Onde os Sacerdotes se Lavavam.

O Lugar Santo

A Mesa dos Pães da Proposição

O lugar santo continha três tipos de móveis, que simbolizavam o nosso relacionamento com o Senhor. A mesa dos pães da proposição ficava no lado direito do lugar santo. Havia 12 pães da proposição sobre a mesa, representando as 12 tribos de Israel.
Os pães da proposição tipificavam Jesus. Ele é o pão que desceu do céu, e todo aquele que comer desse pão, que é o seu corpo, partido na cruz, tem a vida eterna. O pão da vida sustenta a vida espiritual de todos aqueles que Dele se alimentam. Estes já passaram da morte para a vida.
"Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo." João 6:51

A Menorá מנורה Candelabro de Ouro

No lado esquerdo do lugar santo estava a menorá (do hebraico מנורה menorah, "lâmpada, candelabro"), um candelabro de ouro batido com sete braços, que falava de Jesus como a luz do mundo. A luz da vida é a mesma que deu forma ao mundo no princípio e que iluminará a Jerusalém celestial, nosso novo lar, eternamente.
"Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida." João 8:12

O Altar de Incenso

O altar de incenso ficava no lugar santo, bem em frente do véu que o separava do local santíssimo. Brasas retiradas do altar de bronze eram colocadas sobre o altar de incenso, sobre o qual era derramado um suave incenso diariamente. A fumaça, que subia do incenso sobre as brasas, representava as orações do povo de Deus.
"Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde." Salmos 141:2

O Véu Que Separava

O pesado véu que estava entre o lugar santo e o santo dos santos, separava o Deus santíssimo de um povo vil e pecador. Porém com a morte de Jesus na cruz do calvário, o véu foi rasgado de alto a baixo, abrindo o caminho direto a Deus, através do sangue derramado de Cristo.
Assim, pelo sangue de Jesus, podemos chegar diante do trono da graça, do qual recebemos o perdão e a misericórdia.
o veu que separavaUm Véu Espesso Separava o Lugar Santo do Santo dos Santos.


O Santo dos Santos

Logo ao passar pelo véu, adentrando o santo dos santos, podia-se contemplar a arca da aliança, uma caixa retangular coberta de ouro por dentro e por fora. No topo da arca havia dois querubins, um de frente para o outro, olhando para baixo em direção ao propiciatório, com suas asas estendidas para cima.
Era no propiciatório que o sumo sacerdote aspergia o sangue, do cordeiro sacrificial, com seu dedo por sete vezes, no dia da expiação. A fumaça que vinha da queima do incenso ocultava o sacerdote de ver 'a face de Deus', para que não perecesse ali mesmo.
Todo o povo esperava do lado de fora do Tabernáculo, ansiosamente para saber se o sumo sacerdote reapareceria, pois este era o sinal de que Deus havia aceitado o sangue da expiação e que os pecados foram cobertos por mais um ano.

A Igreja é Prefigurada no Tabernáculo

O Tabernáculo era também a figura tipificada da igreja e dos discípulos de Jesus em todos os tempos da história.
"No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito." Efésios 2:21-22
A palavra 'templo' empregada nos versículos acima, não se refere às paredes de uma construção, mas sim ao santuário interior, o santo dos santos. Hoje em dia, Deus não habita em estruturas físicas, mas Deus mora no corpo espiritual, nas pessoas que constituem o corpo místico de Cristo, a que chamamos de 'igreja'.
O Tabernáculo era um lugar santo e separado para Deus. E nós, templos verdadeiros e reais de Deus, também fomos separados para o servir e o adorar. Deus habita em cada um de nós, na pessoa do seu Santo Espírito, que encontra em nós o seu templo, a sua casa.
O povo de Israel nunca teve esse privilégio. Somento o sumo sacerdote podia entrar uma vez ao ano no santo dos santos para poder estar na presença de Deus. Enquanto que nós podemos sentir a Sua doce e suave presença constantemente em nossas vidas.
"Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" 1 Coríntios 6:19

terça-feira, 25 de abril de 2017

Lição Nr 05 - Jacó

domingo, 23 de abril de 2017

Palestra Para Inspirar Educadores • Mario Sergio Cortella

sábado, 22 de abril de 2017

O Iluminismo e seus Pensadores

O ILUMINISMO - Pensadores e características


Resultado de imagem para pensadores do iluminismo

Iluminismo foi um movimento intelectual que surgiu durante o século XVIII na Europa, que defendia o uso da razão (luz) contra o antigo regime (trevas)  e pregava maior liberdade econômica e política.

Este movimento promoveu mudanças políticas, econômicas e sociais, baseadas nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade.

O Iluminismo tinha o apoio da burguesia, pois os pensadores e os burgueses tinham interesses comuns.

As críticas do movimento ao Antigo Regime eram em vários aspectos como:
- Mercantilismo.
-Absolutismo monárquico.
- Poder da igreja e as verdades reveladas pela fé.
Com base nos três pontos  acima, podemos afirmar que o Iluminismo defendia:
- A liberdade econômica, ou seja, sem a intervenção do estado na economia.
- O Antropocentrismo, ou seja, o avanço da ciência e da razão.
- O predomínio da burguesia e seus ideais.

As idéias liberais do Iluminismo se disseminaram rapidamente pela população. Alguns reis absolutistas, com medo de perder o governo - ou mesmo a cabeça -, passaram a aceitar algumas idéias iluministas.
Estes reis eram denominados Déspotas Esclarecidos, pois tentavam conciliar o jeito de governar absolutista com as idéias de progresso iluministas.
Alguns representantes do despotismo esclarecido foram: Frederico II, da Prússia; Catarina II, da Rússia; e Marquês de Pombal, de Portugal.
Alguns pensadores ficaram famosos e tiveram destaque por suas obras e idéias neste período. São eles:
John Locke
John Locke é Considerado o “pai do Iluminismo”. Sua principal obra foi “Ensaio sobre o entendimento humano”, aonde Locke defende a razão afirmando que a nossa mente é como uma tábula rasa sem nenhuma idéia.

Defendeu a liberdade dos cidadãos e Condenou o absolutismo.



Voltaire

François Marie Arouet Voltaire destacou-se pelas críticas feitas ao clero católico, à inflexibilidade religiosa e à prepotência dos poderosos.

Montesquieu
Charles de Secondat Montesquieu em sua  obra “O espírito das leis”  defendeu a tripartição de poderes: Legislativo, Executivo e Judiciário.

No entanto, Montesquieu não era a favor de um governo burguês. Sua simpatia política inclinava-se para uma monarquia moderada.



Rousseau


Jean-Jacques Rousseau é autor da obra “O contrato social”, na qual afirma que o soberano deveria dirigir o Estado conforme a vontade do povo. Apenas um Estado com bases democráticas teria condições de oferecer igualdade jurídica a todos os cidadãos.
Rousseau destacou-se também como defensor da pequena burguesia.

Quesnay
François Quesnay foi o representante oficial da fisiocracia. Os fisiocratas pregavam um capitalismo agrário sem a interferência do Estado.

Adam Smith
Adam Smith foi o principal representante de um conjunto de idéias denominado liberalismo econômico, o qual é composto pelo seguinte:
- o Estado é legitimamente poderoso se for rico;
- para enriquecer, o Estado necessita expandir as atividades econômicas capitalistas;
- para expandir as atividades capitalistas, o Estado deve dar liberdade econômica e política para os grupos particulares.
A principal obra de Smith foi “A riqueza das nações”, na qual ele defende que a economia deveria ser conduzida pelo livre jogo da oferta e da procura.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Como surgiu a AIDS - SIDA?


Como surgiu a aids?

como-surgiu-a-aids
Ela surgiu a partir de um vírus chamado SIV, encontrado no sistema imunológico dos chimpanzés e do macaco-verde africano. Apesar de não deixar esses animais doentes, o SIV é um vírus altamente mutante, que teria dado origem ao HIV, o vírus da aids. O SIV presente no macaco-verde teria criado o HIV2, uma versão menos agressiva, que demora mais tempo para provocar a aids. Já os chimpanzés deram origem ao HIV1, a forma mais mortal do vírus. “É provável que a transmissão para o ser humano, tanto do HIV1 como do HIV2, aconteceu em tribos da África central que caçavam ou domesticavam chimpanzés e macacos-verdes”, diz o infectologista Jacyr Pasternak, do Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo. Não há consenso sobre a data das primeiras transmissões. O mais provável, porém, é que tenham acontecido por volta de 1930. Nas décadas seguintes, a doença teria permanecido restrita a pequenos grupos e tribos da África central, na região ao sul do deserto do Saara.
Nas décadas de 60 e 70, durante as guerras de independência, a entrada de mercenários no continente começou a espalhar a aids pelo mundo. Haitianos levados para trabalhar no antigo Congo Belga (hoje República Democrática do Congo) também ajudaram a levar a doença para outros países. “Entre 1960 e 1980 surgiram diversos casos de doenças que ninguém sabia explicar, com os pacientes geralmente apresentando sarcoma de Kaposi, um tipo de câncer, e pneumonia”, diz a epidemiologista Cássia Buchalla, da Universidade de São Paulo (USP). A aids só foi finalmente identificada em 1981. Hoje, calcula-se que existam mais de 40 milhões de pessoas infectadas no mundo.
Décadas de mistério Doença, que pode ter aparecido nos anos 30, só foi identificada em 1981
1930
Um dos principais estudos sobre a aids aponta que nesse ano ocorreu a primeira transmissão dos macacos para o ser humano. Mas não existe consenso entre os cientistas. Alguns até acreditam que o primeiro contato do homem com o vírus aconteceu séculos antes
1957
Há alguns anos, uma teoria popular dizia que a transmissão do HIV para os humanos só teria ocorrido em 1957. Uma vacina contra a pólio estaria contaminada com restos orgânicos de macacos portadores do vírus. Testes recentes, porém, derrubaram essa teoria
1959
O primeiro caso comprovado de morte provocada pela aids é de um homem que morava em Kinshasa, no antigo Congo Belga (hoje Congo). Isso, porém, só foi descoberto décadas depois, com um teste feito no sangue dele, que estava guardado congelado
1981
A aids é reconhecida como doença. Surgem vários relatos de sintomas em homossexuais nos Estados Unidos. Também em 1981 morre o chamado “paciente zero” naquele país: um comissário de bordo que espalhou a doença em suas viagens
1983
Pesquisadores isolam o vírus da aids pela primeira vez. Dois anos depois, aparece o teste que identifica a presença de anticorpos no sangue. O nome HIV, porém, só surge em 1986. A primeira droga para ajudar no tratamento da doença, o AZT, só é criada em 1987
Leia também:
Fonte de referência, estudos e pesquisa: http://mundoestranho.abril.com.br/saude/como-surgiu-a-aids/

sábado, 15 de abril de 2017

Ressuscitou

Obra Missionária

Seja você também um contribuidor e colaborador da propagação da Palavra de Deus para todas as pessoas. Os principais objetivos desta campanha é a arrecadação de fundos financeiros para aquisição de material de Evangelismo, bíblias sagradas, seleções bíblicas, gêneros alimentícios, roupas, cestas básicas de alimentos, material escolar e demais materiais para realização de obra missionária. Participe você também deste trabalho para edificação da obra de Deus. Com apenas R$ 10,00 (dez reais) de oferta você pode transformar uma vida e salvar uma alma. Sua oferta é de extrema importância para a realização e sucesso deste projeto. Junte-se a nós!  Conto com você para ajudar a amenizar as dores da fome e outras necessidades de muitas pessoas, crianças e adultos necessitam de nós. “Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria.” (2 Coríntios 9:7)

Classificação da Perseguição Religiosa 2016!

Classificação da Perseguição Religiosa 2016!
Classificação dos 50 Países com Perseguição Religiosa, onde seguir à Jesus pode custar a vida. Atualizado em 2016.

Noticias Gospel Mais...

Parceria

O Evangelho de Jesus Cristo, alçando o Mundo!

My Instram