Perfumaria e Cosméticos

Perfumaria e Cosméticos
Compre os seus produtos de beleza on-line.

Escola Bíblica Dominical - 2º Trimestre 2017 - Lição Nr 09

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Redes sociais x Trabalho: cuide de sua imagem

terça-feira, 24 de novembro de 2015

O significado da doutrina bíblica da criação - Parte I

O significado da doutrina bíblica da criação
Resultado de imagem para criação na biblia
Introdução:

Gênesis 1:1 – No princípio, criou Deus os céus e a terra. A Bíblia claramente e repetidamente afirma que Deus criou os céus, a Terra e tudo que tem na natureza.
Alguns parecem acreditar que esta doutrina não é uma parte essencial da fé cristã.
Algumas pessoas ensinam que os dias da criação tenham sido períodos de milhares ou milhões de anos, ou que tais períodos podem ter ocorridos entre os dias de Gênesis 1. Na tentativa de defender estas pessoas, outras dizem que devemos tolerar estas crenças pois a criação não é uma doutrina tão importante. Alguns dizem que o importante é a morte, o sepultamento e a ressurreição de Jesus, o nosso batismo e a maneira que o imitamos. Dizem que o relato da criação tem pouco a ver com esses princípios essenciais, então não deve ser visto como algo fundamental para nossa fé.
O propósito deste estudo é considerar por que a doutrina da criação é importante para os cristãos.
Por que importa se acreditarmos nela ou não?
Veremos que entender e aceitar a criação são fundamentais para nossa fé que Deus existe e que a Bíblia é a vontade dele.
Esses assuntos têm de ser resolvidos antes mesmo de considerarmos o significado da morte de Jesus. Se não acreditarmos em Deus e na Bíblia, por que consideraríamos acreditar no sacrifício de Jesus?
Professores no Novo Testamento às vezes lidavam com idólatras que não acreditavam no Deus verdadeiro. Antes mesmo de discutir a morte de Jesus, começaram dando provas que tais pessoas deveriam acreditar em Deus (Atos 14 e 17). Estas provas incluíam a doutrina da criação. A criação definitivamente é fundamental para a fé de um cristão.
Qualquer crença que debilita, deprecia ou enfraquece a doutrina bíblica da criação nisso debilita, deprecia ou enfraquece a fé na existência e natureza de Deus e da Bíblia como palavra de Deus.
Isso é a verdade, não apenas sobre a evolução, mas sobre qualquer visão que enfraquece a doutrina da criação.
Considere algumas maneiras que a própria Bíblia fala que a doutrina da criação é fundamental para nossa fé em Deus e na sua palavra.
 A criação demonstra a posição do homem.
Antes de considerar o que a doutrina da criação prova sobre Deus, considere o que prova sobre o homem.
 O homem foi criado à imagem de Deus, um pouco menor do que os anjos.
O ensinamento da criação
Gênesis 1:26-27 – O homem foi criado por Deus na sua semelhança e à sua imagem.
Salmo 8:3-5 – Deus fez o homem um pouco menor do que os anjos, coroado com glória e honra.
A falha em apreciar isso leva ao mau trato de outras pessoas.
Gênesis 9:5-6 – O assassinato de seres humanos é proibido porque os humanos foram feitos à imagem de Deus.
Tiago 3:9-10 – Amaldiçoar os homens é errado porque os homens foram feitos à semelhança de Deus.
A razão pela qual é errado maltratar um outro ser humano é que são à imagem de Deus. Eles são tão importantes para Deus quanto nós. Maltratá-los é maltratar um que é semelhante a Deus.
É por isso que Jesus dizia freqüentemente que a maneira com que tratamos outras pessoas é a maneira que o tratamos (Mateus 25:31-46).
A falha em entender isso leva a prática de conceitos evolucionários como a “sobrevivência dos mais aptos”, por isso “o poderoso é certo”. As pessoas acreditam que se conseguem dominar os outros, então eles têm o direito de fazer isso porque são mais “aptos”. Manifestações extremas disso foram o Holocausto e os massacres comunistas: eliminar os “inaptos”!
Quando entendermos a doutrina bíblica da criação, aprendemos porque é errado maltratar outros seres humanos. Não os fizemos. Não nos pertencem. Pertencem a Deus – o mesmo Deus que nos fez e a quem pertencemos. Compartilham de várias maneiras da sua natureza, então não devemos maltratá-los.

[Malaquias 2:10; Jó 31:13-15; Provérbios 14:31; 17:5; 22:2]

Fonte de Estudos e Pesquisa: http://www.estudosdabiblia.net/2003319.htm

Lucy é um fóssil de Australopithecus... E outros hominídeos!

41º Aniversário da descoberta de Lucy
Nesta data o Google nos traz a lembrança de uma das grandes descobertas cientificas do passado, e é um bom momento para refletir sobre a evolução da criação de Deus.
Lucy é um fóssil de Australopithecus afarensis de 3,2 milhões de anos, descoberto em 1974 pelo professor Donald Johanson, um americano antropólogo e curador do museu de Cleveland de História Natural e pelo estudante Tom Gray em Hadar, no deserto de Afar, na Etiópia quando uma equipe de arqueólogos fazia escavações.

Resultado de imagem para Lucy fossil

Em 1974, o paleontólogo americano Donald Johanson e seus colaboradores descobriram um extraordinário fóssil de hominídeo na região de Afar, na Etiópia. O achado foi excepcional pois apresentava um esqueleto feminino quase completo, com parte do crânio e muito mais. Na noite seguinte à descoberta, a turma se reuniu para comemorar tomando uma biritas e ouvindo música dos Beatles. Logo, alguém teve a idéia de batizar o espécime com o nome Lucy ("in the sky with diamonds"). O nome científico do fóssil depois passou a ser "Australopitecus Afarensis", que quer dizer mais ou menos, "pequeno macaco sulista de Afar".

A idade de Lucy (o fóssil, é claro) foi determinada como 3,5 milhões de anos, aproximadamente. Para obter esse número foi feita a datação da camada basáltica onde o fóssil foi encontrado usando-se o método Potássio-Argônio. Para mais detalhes sobre essa técnica, veja a Apostila de Dona Fifi sobre a datação isotópica. Nos anos seguintes, Johanson e seus colegas acharam uma quantidade enorme de outros fósseis em Afar, tão antigos quanto Lucy e com as mesmas características. Com essa profusão de dados foi possível armar uma imagem bem precisa do A. Afarensis e chegar a conclusões que sumarizamos a seguir.
1) Lucy viveu naquela região há mais de 3 milhões de anos.
2) Ela e seus parentes andavam sobre dois pés - isto é, eram bípedes.
3) Sua altura aproximada era de 1,3 metros.
4) Seu crânio tinha um volume de 450 cm3. Para comparação, chimpanzés modernos têm crânios de 350 cm3 e nós temos crânios de 1500 cm3.
5) É possível, mas não é inteiramente seguro, que a espécie de Lucy esteja na linha ancestral que deu origem à nossa espécie, o "homo sapiens."

Qual era a aparência de Lucy? Ninguém sabe ao certo porque não existem fósseis de pele e pelos, normalmente. Uma representação artística de Lucy e um namorado, pintada no chutômetro mas com boa chance de corresponder ao real, resulta em algo como vemos ao lado.
Durante algum tempo, o A. Afarensis foi o fóssil de hominídeo mais antigo já descoberto. Hoje, porém, já conhecemos fósseis mais antigos que Lucy e outros mais recentes que permitiram montar um quadro da nossa evolução bem mais detalhado e complexo. A seguir, vamos dar algumas informações sobre essas descobertas, mas, recomendamos aos interessados que procurem ler os trabalhos que listamos nas Referências pois esse assunto é vasto e fascinante.




Em 1891, o pioneiro Eugene Dubois descobriu fósseis de um hominídeo na ilha de Java, no Pacífico Sul, que chamou de "Pithecantropus Erectus", isto é, "homem macaquinho que andava em pé". Hoje sabemos que essa espécie - e outras parecidas - viveu na Ásia há uns 500.000 anos e se extinguiu há cerca de 200.000 anos. Portanto, pela hipótese "Saindo da África", não somos descendentes desse pessoal.
Em 1924, Raymond Dart descobriu um pequeno crânio fossilizado no sul da África que ficou conhecido como o "bebê de Taung". Essa criatura era bem mais primitiva que o homem de Java e até hoje não se sabe se ela estava em nossa linha evolutiva ou não.
A partir de 1959, o casal Louis e Mary Leakey achou uma grande quantidade de fósseis de hominídeos na região de Olduvai, na Tanzânia. Além desses fósseis, acharam ferramentas de pedra e fósseis mais recentes que já pertenciam à espécie humana. Esse casal passou a vida na África e deu uma enorme contribuição ao nascente campo da paleoantropologia, estabelecendo definitivamente a África como berço da humanidade. Richard Leakey, filho do casal, e sua mulher Meave, continuam até hoje o trabalho pioneiro dos Leakeys, tanto no Kênia quanto na Tanzânia, com extraordinárias contribuições nesse ramo de pesquisa. E até a filha Louise, neta do casal pioneiro, continua a tradição da família de pesquisar as origens da humanidade.

O fóssil de hominídeo mais antigo achado até hoje foi descoberto em 2001, no deserto do Chade, na África Ocidental, por uma equipe liderada pelo francês Michel Brunet (será que é parente da Lucy?). Esse fóssil, visto na figura ao lado, é de um crânio datado de cerca de 7 milhões de anos e batizado de Toumai, que significa "esperança de vida" na língua do povo local. Brunet discorda de muitos colegas pois acha que não houve uma linha evolutiva única que chegou até nossa espécie, os humanos. Para ele, várias espécies pre-humanas, em tempos distintos, mas todas na África, se misturaram até dar origem à nossa espécie. Ele esteve recentemente no Brasil e anunciou que tem novos e importantes resultados, ainda não publicados, que são tão excitantes quanto o Toumai. Vamos ficar atentos.

Bem recentemente, em um número especial da revista Science de Outubro de 2009, Tim White e seus colaboradores relataram a descoberta e a análise de um espécime de hominídeo que viveu há mais de 4 milhões de anos na Etiópia. É o "Ardiphitecus Ramidus", provável ascendente do homo sapiens e mais primitivo que Lucy. Essa "Ardi", como o pessoal chamou, já andava sobre os dois pés mas ainda mantinha o costume de usar os punhos para se mover, de vez em quando, além de gostar de pular nos galhos de árvores. Portanto, uma legítima intermediária entre os símios e os humanos. Ao lado, uma representação artística de Ardi, como apresentada por seus descobridores. Reparem no comprimento dos braços e comparem com a figura de Lucy na figura já mostrada.
Como vemos, a busca de melhores informações sobre nossos antepassados continua intensa, o que é muito bom. Essa descoberta foi notícia de jornais e televisões do mundo todo, até do Jornal Nacional da Globo. Isso indica que o povão está curioso de conhecer sua árvore genealógica.

Fonte de Estudos e Pesquisa: http://www.google.com - http://www.wikipedia.com 

Este artigo que publiquei transcrito das fontes mencionadas é para uma simples reflexão a respeito de nossas origens, criação e evolução. A Ciência e a Religião como Ciência realmente são algo maravilhoso em nossas vidas, pois por intermédio delas fazemos grandes descobertas e adquirimos grandes conhecimentos, acredito que não se deva contestar ou questionar uma ou outra haja vista que elas acabam se tornando uma só realidade em meio às tantas curiosidades que possuímos como  exemplo de onde realmente nos originamos e para onde realmente iremos, precisamos sim ter a certeza de que somos criação de alguém com muita inteligência e sabedoria ou seja Deus pois somente Ele seria capaz de criar algo que evoluísse e fosse se aperfeiçoando com o passar dos anos. Deus criou todas as formas de vida existentes na Terra e no mar, e também no ar ou seja tudo o que contemplamos está descrito em Sua maravilhosa Palavra no Livro dos Gênesis. 




segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Projeto Natal Sem Fome...

Não importa se você tem muito ou pouco,  que realmente importa, e que você tenha um coração abençoador e compartilhador, faça parte desse projeto orando, ofertando, repartindo e contribuindo da forma que Deus lhe determinar no coração:




Peço a gentileza de que você compartilhe essa mensagem em suas redes sociais e por e-mail.

Um forte e fraternal abraço, que Deus multiplique as suas bençãos em nome de Jesus Cristo!

domingo, 15 de novembro de 2015

Holistica



holistica
A holística pertence e refere-se ao holismo, que é uma tendência ou corrente que analisa os fenômenos do ponto de vista das múltiplas interações que os caracterizam. O holismo considera que todas as propriedades de um sistema não podem ser determinadas ou explicadas como a soma das suas componentes. Por outras palavras, o holismo considera que o sistema completo se comporta de um modo diferente da soma das suas partes.
Desta forma, o holismo ressalva a importância do todo como algo que transcende à soma das partes, destacando a importância da interdependência destas. Cabe mencionar que o holos (um termo grego que significa “todo” ou “inteiro”) alude a contextos e complexidades que se relacionam entre si, pelo facto de ser dinâmico.
Na abordagem holística, o todo e cada uma das partes encontram-se ligados com interacções constantes. Como tal, cada acontecimento está relacionado com outros acontecimentos, os quais produzem entre si novas relações e fenómenos num processo que compromete o todo. 
A perspectiva holística implica uma superação dos paradigmas para propiciar a figura do sintagma, vista como uma integração de paradigmas. Uma atitude sintagmática supõe a convergência de diversas perspectivas, o que só é possível com critérios holísticos.A percepção dos processos e das situações deve ter lugar com base no próprio holos, já que, na sequência do seu dinamismo, surge uma nova sinergia, ocorrem novas relações e assiste-se a novos acontecimentos. Portanto, o todo é determinante, inclusive se tal reconhecimento não impedir que seja analisado cada caso em particular.

sábado, 14 de novembro de 2015

NOS PASSOS DE JESUS...

Alguns objetos, locais e passagens biblicas de alguns momentos vividos por Jesus.

[SANDÁLIAS.jpg]
SANDÁLIAS DO TEMPO DE JESUS

Marcos 1:7 - E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia das suas sandálias.

[RIO+JORDÃO.jpg]
RIO JORDÃO - ONDE JESUS FOI BATIZADO

Mateus 3:11 a 15 - E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas não sou digno de levar; ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo. Em sua mão tem a pá, e limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará. Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? Jesus, porém, respondendo, disse-lhe:

[RIO+JORDÃO-JESUS+FOI+BAPTIZADO.jpg]

Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu.

[SINAGOFA+DE+CAFARNAUM.jpg]
SINAGOGA DE CAFARNAUM

Lucas 4:15 a 18 - E ensinava nas suas sinagogas, e por todos era louvado. E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do oração.

[CAFARNAUM.jpg]

[CASA+DE+PEDRO+CAFARNAUM.jpg]
CASA DE PEDRO EM CAFARNAUM

Marcos 1:29 a 30 - E logo, saindo da sinagoga, foram à casa de Simão e de André com Tiago e João. E a sogra de Simão estava deitada com febre; e logo lhe falaram dela.
[utensilios+tempo+Xto.jpg]
UTENSÍLIOS DE COZINHA NO TEMPO DE JESUS

Um jarro de água, uma jarra (argila), uma travessa, um prato e uma colher (madeira), uma faca (lâmina de ferro e cabo de madeira).

[TU+ES+PEDRO.jpg]
LUGAR ONDE É SUPOSTO QUE JESUS MUDOU O NOME DE PEDRO

Marcos 3:14 a 16 - E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar. E para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios: A Simão, a quem pôs o nome de Pedro.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Tomás de Aquino e a Filosofia

É chamado de tomismo o conjunto de doutrinas teológicas e filosóficas de São Tomás de Aquino. São Tomás foi um monge dominicano que viveu no século XIII, e que, influenciado por Aristóteles, Platão e Santo Agostinho, criou um sistema filosófico e teológico próprio e original que gradualmente tornou-se importante a ponto de marcar toda a filosofia medieval. Aqueles que seguem o pensamento de São Tomás ou alguma de suas doutrinas são conhecidos por tomistas. No Concílio de Trento, a doutrina tomista ocupou lugar de honra e, a partir do papa Leão XIII, foi adotada como pensamento oficial da Igreja Católica.
O mérito da filosofia de Tomás de Aquino está exatamente em aliar o pensamento lógico e racional de raiz aristotélica com a fé cristã. Ela é por essência, a metafísica (uma das disciplinas da filosofia, ocupada com os princípios da realidade para além das ciências tradicionais (Física, Química, Biologia, Psicologia, etc) a serviço da teologia (estudo sobre a divindade). Apresenta forte influência do pensamento aristotélico (que se tornou amplamente conhecido no ocidente no século XIII por meio de traduções do árabe) e serviu de fundamento ao pensamento racionalista e ameaçou a concepção cristã da realidade, tradicionalmente apoiada na corrente filosófica platonista.
Segundo a interpretação de São Tomás, tais conceitos não se chocam nem se confundem, mas são distintos e harmônicos. A teologia é considerada uma ciência suprema, fundada na revelação divina, e a filosofia, sua auxiliar. Cabe à filosofia demonstrar a natureza e a existência divina em plena harmonia com a razão. Só há conflito entre filosofia e teologia caso a primeira, num uso incorreto da razão, se proponha explicar o mistério do dogma religioso sem o auxílio da fé.
Considera Tomás de Aquino que a alma é a forma essencial do corpo, responsável por dar vida a este. A alma humana é subsistente, imortal e única, e por isso, o homem tende naturalmente para Deus. A ética tomista é precisamente concentrada neste movimento, que é considerado natural e racional, do ser para Deus, culminando na visão ou contemplação imediata do criador.
Após a morte de São Tomás de Aquino, a 7 de março de 1274, doze das suas teses foram condenadas em Paris (1277). Mas logo em seguida, em 1278, o tomismo foi adotado pelos dominicanos e, em 1323, o Papa João XXII canonizou Tomás de Aquino. O tomismo proliferou durante um período relativamente longo, mas acabou por ser plataforma de discussões abstratas mais ou menos inócuas, até que em 1879 o Papa Leão XIII, por meio da encíclica Aeterni Patris fez renascer o interesse pelo tomismo.
Bibliografia:
O Tomismo. Disponível em: < https://sites.google.com/a/carlos-rosa.com/inovacao/educacao-e-tecnologia/historia-da-educacao/educacao-na-idade-media/o-tomismo >. Acesso: 11/02/13.
Tomismo. Disponível em: < http://www.infopedia.pt/$tomismo >. Acesso: 11/02/13.

Arquivado em: Filosofia

Fonte de Estudos e Pesquisa: http://www.infoescola.com/

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

ESPAÇO ´SINAI´ E CODEX


MONTE DO SINAI  - Neste lugar Deus deu a Moisés os Dez Mandamentos, podem ser lidos na íntegra em Êxodo 20. 

CONVENTO DE SANTA CATARINA. - No sopé do Monte Sinai.

CODEX SINAÍTICUS: O Codex Sinaiticus foi descoberto por Constantin von Tischendorf, na sua terceira visita ao Mosteiro Ortodoxo de Santa Catarina, no sopé do Monte Sinai (Egipto), em 1859. Nas duas primeiras viagens, ele conseguiu partes do Antigo Testamento, encontrados num cesto que continha pedaços de vários manuscritos.


CODEX LENINGRADENSIS: O Códice de Leningrado (Codex Leningradensis, L) catalogado com a sigla "Firkovich B 19”, é um dos mais antigos e completos manuscritos do texto massorético da Bíblia hebraica, escrito em pergaminho e datado de 1008 EC, de acordo com o Colophon (book), é a cópia mais antiga e completa das Escrituras Hebraicas do mundo. Este manuscrito serve como texto básico para modernas traduções da Bíblia, e encontra-se na famosa Biblioteca Pública de São Petersburgo Leningrado, Rússia.

CODEX VATICANUS - ESCRITO EM LETRA GREGA. Vaticanus, também conhecido como Manuscrito 'B', pertence ao século IV. Foi considerado por Westcott e Hort como o melhor manuscrito grego do Novo Testamento. É um dos manuscritos mais antigos da Bíblia, sendo inclusive ligeiramente mais antigo que o Codex Sinaiticus.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

O Início da História da Humanidade - Parte II

ARQUEOLOGIA: A CIÊNCIA QUE CONFIRMA O RELATO BÍBLICO

A arqueologia bíblica é uma ciência que faz parte da arqueologia especializada nos estudos dos restos e de materiais relacionados direta ou indiretamente com os relatos bíblicos e com a história das religiões judaico-cristãs. A região mais estudada pela arqueologia bíblica, na perspectiva Ocidental, é a denominada Terra Santa, localizada no Médio Oriente.

O RESTAURADO TEMPLO FORTIFICADO DE UR, NO SUL DO IRAQUE.

[TEMPLO+DE+UR.jpg]


A maioria dos eruditos acredita que a cidade de Ur era o local escavado entre 1922 e 1934 a cerca de trezentos e setenta quilômetros a sudoeste de Bagdade. Ur foi um importante centro de comércio na  Idade do Bronze, com grandes casas, uma vasta biblioteca, avenidas bem delineadas e um templo fortificado, ou zigurate (foto). De especial interesse para os eruditos bíblicos são as muitas variações do nome de Abrão encontradas em tabuinhas de barro, que remontam a um ou dois séculos após a sua morte.


[463px-Ashurnasirpal_II.jpg]
ASHURNASIRPAL II

FUNDADADOR DA GRANDE BIBLIOTÉCA

[Talmude+em+uma+moderna+edição+impressa..jpg]


Coleção de Livros dessa famosa Biblioteca. Outrora escritos em tabuínhas de argila, hoje, podem ser consultados em Hebraico e outras línguas.

Classificação da Perseguição Religiosa 2016!

Classificação da Perseguição Religiosa 2016!
Classificação dos 50 Países com Perseguição Religiosa, onde seguir à Jesus pode custar a vida. Atualizado em 2016.

Noticias Gospel Mais...

Parceria

O Evangelho de Jesus Cristo, alçando o Mundo!

My Instram