SBB

Escola Bíblica Dominical - 4º Trimestre 2017 - Lição Nr 08

Canal Luisa Criativa

= Assista, curta, comente, inscreva-se e compartilhe. Atualização semanal todos os domingos às 16:00 horas.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

TEOLOGIA BÍBLICA DO NOVO TESTAMENTO...

Introdução - Conceito e Classificação de Teologia

 “A palavra teologia vem do grego Theós (Deus) e Lógos (linguagem que encerra idéia, palavra). Assim, teologia vem a ser idéia de Deus ou idéia a respeito de Deus... no sentido da linguagem elaborada, de um sistema de conhecimentos resultantes de estudo.”
A teologia alcança ao mesmo tempo o divino e o humano, o espiritual e o social, o eterno e o temporal:
 “A teologia preocupa-se em estudar Deus ...

“A Teologia do Novo Testamento é o estudo que enfatiza e soletra o conteúdo do Novo Testamento do ponto de vista teológico. ...a teologia neo-testamentária tem de pressupor o trabalho do exegeta para proporcionar os detalhes de interpretação de um texto.     A Teologia Bíblica difere, também, da Teologia Sistemática.  Esta trata mais sistematicamente e compreensivamente de doutrinas como Deus, homem, pecado e salvação.  A Teologia Sistemática está interessada em relatar os materiais tanto bíblicos quanto perspectivas históricas para o tempo moderno.   A Teologia Bíblica defere da Teologia Histórica e da História Eclesiástica sendo um prólogo ou primeiro capítulo para estas.   A Teologia Bíblica deve proporcionar as normas pelas quais as outras podem ser avaliadas.” (Dr. Broadus Hale)

CLASSIFICAÇÃO DA TEOLOGIA

1.   Teologia naturalista ou teodicéia (melhor termo)
É a busca pelo conhecimento divino utilizando-se do meio de observação humana da natureza e da racionalização humana.
2.  Teologia Sistemática
É a organização dos fatos teológicos, na forma de um sistema racional; tendo como fontes: a revelação e a filosofia e várias outras ciências como a antropologia e a etnografia. 
3.  Teologia Bíblica (Teologia Exegética ou Positiva)
    Tendo como fonte exclusiva as Escrituras Sagradas.  Estabelece os fatos teológicos, tendo como pontos de vista a Revelação, historicidade e experiências. 
4.   Teologia Bíblica do Novo Testamento
    —    Objetivo específico é o de conhecer Deus através da pessoa de Jesus como a imagem de Deus invisível (Colossenses 1.15). 
  —    Visa também conhecer as experiências dos cristãos sob a influência dinâmica do Espírito Santo, e interpretar suas novas atitudes, em função da nova vida (regenerada) que alcançaram.
   —    Basicamente, é a busca por conhecer as Escrituras do Novo Testamento de maneira especializada, tendo-a como a única fonte confiável, infalível e última na formação do corpo de doutrinas cristãs,  que conduz à prática e propicia respostas às inquirições humanas.
  
FATORES FORMATIVOS DA TEOLOGIA (Autêntica)

FATOR Nº 1  Jesus Cristo é uma pessoa Real, Histórica e Divina.

FATOR Nº 2  Aceitação e Credibilidade das Escrituras Sagradas (Neo-Testamentárias)

FATOR  Nº 3  Reconhecer e Aceitar a Real Atuação do Espírito Santo na Vida dos Cristãos.

FATOR Nº 4  Entender e Explicar as Experiências Espirituais dos Cristãos Referidos nas Escrituras do Novo Testamento Sujeitos à Operação do Espírito Santo.

VALOR E NECESSIDADE DA TEOLOGIA
        Reconhecemos, também, que há teologias que em nada contribuem ao fortalecimento da fé, não exercem motivação ou estimulo paro o  crente viver e agir conforme a vontade de Deus.   Isto acontece porque tais teologias exercem um caráter puramente especulativo, filosófico e inclinações confusas e indutoras de disputas infrutíferas.
        A Teologia desenvolvida sem as aberrações dos que a desprezam, ou dos que a supervalorizam, é fiel à natureza e finalidade do Evangelho, e representa um grande e necessário valor para a vida dos filhos de Deus.
A Teologia é necessária em virtude da necessidade de conhecimento da natureza intelectual do ser humano.
        A Ausência da teologia verdadeira —  falta de compreensão adequada das coisas de Deus — possibilita duas distorções: a superstição e o fanatismo:
         
A Teologia É Necessária em Virtude da Relação que Existe entre a Verdade Sistematizada e o Desenvolvimento do Caráter Cristão.

A Teologia É Necessária porque Ajuda os Pregadores a Definir e Expor as Doutrinas do Cristianismo.  

A Teologia É Necessária como Meio de Defesa da Religião que se Professa.

A Teologia É Necessária à Propagação do evangelho e à solidificação de seus resultados. 

TEOLOGIA  E  RELIGIÃO
Teologia e Religião são realidades distintas, independentes mas coexistentes.
            Religião é a realidade espiritual vivida pelo adorador.
            Teologia é o processo de conhecimento que analisa, interpreta, compreende, sistematiza e expõe por meio de interpretações a compreensão aos homens.
Religião é vocábulo que vem do latim:
(a)    Religare = “voltar a unir”
(b)   Religere = “tomar de novo um caminho”  /  De onde vem o termo Religio(religião) = “exato cumprimento do dever(para com os deuses)”

TEOLOGIA   E  CIÊNCIA
        A Ciência trata do conhecimento e controle dos fenômenos, por meio de análise, experiência e leis que  regulam e que manipulam os controles do conhecimento e os dirija aos fins práticos da vida humana.
        A Teologia trata da fé, é um terreno espiritual, subordinada à revelação divina e que diferentemente da ciência, não pode ser experimental (analisada em laboratório).
 II – TEOLOGIA BÍBLICA DO NOVO TESTAMENTO

1. O SURGIMENTO DA TEOLOGIA NEOTESTAMENTÁRIA EM TORNO DA PESSOA E DO ENSINO DE JESUS.
    Jesus Cristo, como pessoa histórica e divina É O FUNDAMENTO DA VERDADEIRA TEOLOGIA
    Jesus é o Padrão de aferição. (Efésios 2.21 a pedra angular do Edifício)
    Jesus é a convergência da interpretação das Escrituras. (primitiva, medieval, reformada, contemporânea):
    O Surgimento da Teologia em torno da Pessoa e do Ensino de Jesus.
            No princípio, tudo acerca de Jesus — os fatos e os ensinos — eram transmitidos oralmente. (Jesus escreveu uma única vez!)

Causas que Provocaram a Origem da Formação Teológica: Cartas de instrução dos líderes cristãos para o doutrinamento dos novos crentes.

1.  O Rápido Crescimento do Número de Crentes. 
-   Dificuldades para instruir oralmente. 
-   Conflitos de natureza múltipla: (heterogeneidade: judeus X prosélitos (gentios)  Atos 6.

2.  Dispersão dos Crentes.
-    Os primeiros 25 anos da história cristã, com perseguições, impulsionou a igreja na implantação do Evangelho pela Ásia e pela Europa, culminando no surgimento de muitas igrejas e instrução escrita a qual era lida perante a Congregação, copiada e enviada a outras igrejas.

3.   Surgimento de problemas de natureza comportamental.                     
          - Embates acerca dos costumes pagãos entre os convertidos, a moral do cristianismo.    Os Escritos surgiram para orientar objetivamente, fundamentados no ensino de Jesus — como os cristãos deveriam se portar entre os irmãos — o corpo de Cristo e entre os de fora, com um viver digno, segundo a vontade e o padrão de Cristo.
Ex.: Indisciplina nos cultos, a imoralidade sexual, o faccionismo entorno de nomes de pregadores, a crença nos dons espirituais e a falta de discernimento do sentido da Ceia do Senhor.

4.   Choque das esperanças cristãs com a hostilidade e crueldade do mundo que tinham de enfrentar.
-  Como entender à violência até o martírio, diante das promessas de Jesus.  Escrever para consolar os cristãos assoados pela perseguição e a perseverar na fé até o fim.

5.   Choque entre a mentalidade judaica e a gentílica no encontro de cristãos judeus e cristãos gentios.
-   Entrava-se em choque de ponto de vista (sistema) religioso originário (Atos 15)
-   Ex.: A ressurreição dos mortos,  a volta de Jesus,  a justificação pela fé sem as obras da lei, etc.

 6.  Infiltração de heresias nas fileiras cristãs.
-    Fábulas criadas pela mente humana, movida por fanatismo e superstição, infiltraram-se entre os cristãos e ameaçava a fé,  ou no mínimo, confundia os crentes.
-  Ex.: O legalismo.  O nicolaitismo.   O gnosticismo, combatido no Evangelho de João para provar que Jesus não era uma simples emanação de Deus, ou mera aparição incorpórea, mas sim a encarnação do Verbo.

OS ESCRITOS QUE HOJE FORMAM O NOVO TESTAMENTO.
             A formação do Novo Testamento, não originou com os Evangelhos, outros escritos surgiram primeiro, foram as cartas.   “Paulo por exemplo desenvolveu sua teologia a partir da pessoa, obras e ensinos de Jesus, e buscou alicerçar sua autoridade nessas realidades.  Quando Paulo disse aos Coríntios —‘Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei’ (1 Co 11.23) — ele estava revestido de autoridade em seu ensino por baseá-lo naquilo que havia recebido do próprio Senhor Jesus.   Em outras palavras, Paulo não quis construir um edifício por si mesmo, de sua própria sabedoria e invenção, mas ensinou o que aprendera de Jesus Cristo.” Ver também Gálatas 1.11,12;  2 Co 13.3; ver também o testemunho de Pedro em 2 Pedro 1.13-16.

            Os Escritos do Novo Testamento são autênticos e revestidos de autoridade, pois em última análise, fluíram da pessoa, obras e ensino de Cristo Jesus. 

            Qualquer teologia que colida com a pessoa de Jesus em sua historicidade e divindade — caráter milagroso de sua obra — é falsa e perniciosa ao Reino de Deus.

Minizinha

Vote Projetos

Crie seu próprio questionário de feedback de usuário - Professor Julio Cesar Martins

Perfumaria e Cosméticos

Perfumaria e Cosméticos
Compre os seus produtos de beleza on-line.

Classificação da Perseguição Religiosa 2017!

Classificação da Perseguição Religiosa 2017!
Classificação dos 50 Países com Perseguição Religiosa, onde seguir à Jesus pode custar a vida. Atualizado em 2017.

Noticias Gospel Mais...

Parceria

O Evangelho de Jesus Cristo, alçando o Mundo!

My Instram