Perfumaria e Cosméticos

Perfumaria e Cosméticos
Compre os seus produtos de beleza on-line.

Jovens Gospel

Escola Bíblica Dominical - 3º Trimestre 2017 - Lição Nr 04

Crie seu próprio questionário de feedback de usuário - Professor Julio Cesar Martins

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Abraão a Fé e a Mentira - Fragilidade de um Homem de Deus...

 

Esta passagem podemos tirar como um alerta ao perigo de "descermos ao Egito" e nos embaraçarmos com ele. O Egito representa o mundo e suas concupiscências. Não podemos "descer" de nossa posição privilegiada em Cristo e correr o risco de nos envolvermos com as coisas deste mundo. Abraão deveria confiar na providência divina a despeito de qualquer situação adversa. Estando no Egito, as provações logo vieram. O pai da fé haveria de mentir para salvar a própria pele. Abraão fizera um concerto com Sara a fim de que ela passasse por sua irmã, e no caso de ser reclamada, ele ficasse com  vida.
Por esta falta, Abraão expôs sua honra e a de sua esposa e trouxe a censura de todo o povo sobre si, e, se não fosse a intervenção de Deus, ninguém poderia saber o que teria acontecido. Se estivéssemos no lugar de Abraão agiríamos de modo diferente? Devemos permanecer firmes, observando a direção de Deus para nossas vidas!
A fome era frequênte em Canaã. Talvez por castigo divino aqueles povos iníquos, as pastagens para o gado tinham secado, faltava a preciosa água dos ribeiros e mesmo o trigo para fazer o pão. Nada se podia fazer para evitar aquela triste situação. O único jeito era mudar-se para o Egito, onde o Nilo fornecia água abundantemente.
Ao aproximar-se do palácio de Faraó, o medo tomou conta de Abraão por imaginar que o monarca o mataria para colocar Sara em seu harém. O medo e a insegurança levaram-no a recorrer a MENTIRAS e SUBTERFÚGIOS. O resultado não poderia ser outro. Deus interveio com flagelos. Faraó percebeu que alguma coisa estava errada e expulsou seus visitantes da terra. Abraão deveria crescer a fim de aproximar-se do padrão divino exigido para sua vida.
Amados leitores, a fé nas promessas de Deus estimula cada passo da nossa jornada espiritual quando andamos na vontade de Deus. Abraão já aprendera muito quanto à importância de trilhar a senda da obediência: contudo ele não pôde evitar as circunstâncias adversas ao longo do caminho da fé. Grandes provações ele teria de passar para que reconhecesse a soberania divina e sua dependência dEle. Após chegar à terra prometida. Abraão se depara com a fome, o que à primeira vista contrariava as promessas. A seguir, um caminho de provações se iniciava na vida de Abraão, expondo toda a sua fragilidade.

1 - As provações inevitáveis:

Na vida cristã, ao trilharmos o caminho da fé não imaginamos encontrar dificuldades e adversidades. O texto declara que "havia fome naquela terra". Aprendemos com este fato que o caminho com Deus através da fé não esta livre de provações. A vida de um fiel cristão não pode ser julgada negativamente por causa das suas provações. Na verdade, o caminho da obediência ao Senhor, às vezes, é muito difícil para a carne e o sangue. Quantas vezes um crente é injustiçado e julgado pelas aparências. Abraão havia chegado  à terra que Deus lhe escolhera, mas não contava ele com a fome naquele lugar. Já aconteceu algo assim com você?

2 - O perigo de escolhermos os nossos caminhos.

"Abraão desceu ao Egito". às vezes tomamos decisões erradas pressionados pelas adversidades. Abraão estava vivendo uma situação geral difícil. Seus problemas incluíam uma esposa estéril, a separação de seus parentes, e ainda uma terra seca que não produzia nada. A Bíblia Sagrada diz em Provérbis 14:12. "Há caminhos que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte".

Abraão precisava manter-se fiel à direção divina para que as coisas dessem certo. È sempre perigoso sair da direção divina e passar a dirigir a própria vida. O caminho para o Egito é sempre ilusório e termina em frustração.

3 - As consequências das decisões sem Deus.

Quando saímos da direção divina, somos responsáveis pelas consequências das nossas decisões. A lei da semeadura comprova que da semente que plantei devo colher seus frutos, bons ou maus. A despeito das atitudes erradas de Abraão, o Senhor não o abandonou. Pelo contrário, protegeu-o da morte, para  que Abraão entendesse que melhor é o caminho traçado por Ele.

4 - Abraão fraqueja na fé.

Ao descer ao Egito, atraído por uma civilização mais adiantada, logo surgiram as dificuldades. Esse casal ao seguir para o Egito saiu da direção de Deus, mesmo assim, Deus não os abandonou. Na linguagem figurada da Escritura Sagrada, como em Apocalipse 11:8, o Egito prefigura o mundo. Sempre que o crente se envolve com o mundo e o seu modo de viver, decai da fé e da comunhão com Deus.

5 - Dirigindo-se a si mesmo.

Sempre que deixamos o caminho da fé em Deus e da direção divina, passamos a dirigir erradamente nossa vida e a sofrer as consequência desses pecados, seus erros e rebeldia.

A direção divina é imprescindível em nossa vida. Abraão correu perigo de vida no Egito, ante os fatos descritos nos versículos 11:16. Abraão e Sara tramaram uma situação que os fez usar a mentira, a dissimulação e a duplicidade de caráter.

6 - O caminho dos desobedientes e fracos na fé.

A fraqueza da nossa fé nos torna vulnerável na batalha da vida em todos os seus aspectos. No caminho da fraqueza espiritual, tornamo-nos vítimas de atitudes, as quais não conseguimos evitar. Três atos pecaminosos foram praticados por Abraão e Sara quando deixaram de confiar em Deus e passaram a viver e seguir suas próprias idéias.

O FINGIMENTO > Abraão propôs a sua mulher que fingisse ser sua irmã, e não sua esposa, porque, sendo Sara muito bonita, entendeu que ela sendo sua irmã, os egípcios não o matariam por causa dela. O fingimento é uma forma de  mentira, engano, hipocrisia, logro. Quem anda fora da vontade de Deus entra por caminhos tortuosos de que era a irmã de Abraão e não sua mulher. A Bíblia Sagrada ou seja Deus condena a dissimulação e o fingimento.

DUPLICIDADE DE CARÁTER > É a pessoa apresentar-se com "duas caras". Abraão induziu sua mulher à duplicidade de caráter, levando-a à dissimular, mentir e agir com falsidade. Deixar os caminhos do Senhor é perder o temor de Deus e expor-se aos mais absurdos pecados. O salmista diz: "Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei". A duplicidade de caráter é o uso de má fé para obter algum tipo de lucro. Tiago escreveu que o "O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos".

A MENTIRA > "Dize, e peço-te, que és minha irmã para que me vá bem por sua causa". Abraão induziu sua mulher ao pecado da mentira, visando proteger sua vida, mas também, para tirar proveito material dessa mentira.

Quando alguém anda fora da vontade de Deus, a mentira não faz muita diferença. Se não fosse a intervenção de Deus naquele reprovável episódio. Abraão teria sido morto e sua mulher não escaparia ao vexame de torna-se concubina de Faraó. Diz a Bíblia que "suave é ao homem o pão da mentira, mas depois, a sua boca se encherá de pedrinhas de areia".

DEUS INTERFERE NA VIDA DE ABRAÃO E SARA.

Apesar dos erros do casal. Deus teve compaixão deles e não os julgou segundo os critérios humanos. A justiça de Deus está ligada à sua misericórdia. Se assim não fosse, não haveria esperança para o transgressor. Eles não foram abandonados pelo Senhor, mas Ele os deixou, por um pouco, à mercê das consequências de seus erros para que voltassem a confiar unicamente em Deus. Misteriosamente, Deus não permitiu que Faraó tocasse em Sara, e mais: o rei e sua casa foram feridos com grandes pragas. A despeito da intervenção divina, Abraão e Sara passaram vexames por causa de sua mentira e fingimento.

A GRANDE LIÇÃO QUE ESTA HISTÓRIA NOS ENSINA > Abraão e Sara foram salvos, graças à intervenção divina para tirá-los daquela terra. Preservaram seus bens materiais, mas tiveram prejuízos morais e espirituais que marcaram fortemente suas vidas. Muitos de nós já sofremos coisas assim. Acumulamos bens materiais, mas com prejuízos na vida espiritual.

ENFRAQUECIMENTO NA FÉ > Enquanto Abraão esteve fora da vontade de Deus e em terra estranha, não conseguiu construir nenhum altar ao Senhor, como fizera antes. A Bíblia declara que o "ministério da fé é guardado em uma pura consciência".

TESTEMUNHO FRACO > Abraão e Sara saíram do Egito com mau testemunho do seu Deus e ainda foi repreendido pelo seu procedimento, por um rei pagão.

Quando o crente começa a mentir, fingir e enganar, ainda achando que pode continuar como crente, expôe-se ao ridículo moral, social e espiritual.

FÉ COMBATIDA > A Bíblia Sagrada diz que existe uma lei escrita no coração de cada criatura, tendo a consciência como testemunha juntamente com os pensamentos, para acusar ou defender o ser humano conforme os seus atos.

No caso de Abraão, sua fé em Deus descera a um baixo nível e as consequências disso foram dados por faraó, estivesse entre os mesmos Hagar, a qual lhe traria tantos problemas.

Encerrando quero deixar registrado minha opinião sobre este episódio tão marcante na história do nosso Pai na Fé.

Aprendemos que devemos ter cuidado com a nossa fé para não sofrermos o que sofreu Abraão e Sara, os quais expuseram-se aos maiores perigos. Abraão e Sara aprenderam com o sofrimento, pelo fato de dirigirem seus próprios passos e largarem o caminho da direção de Deus.

Infelizmente a conduta ética geral dos cristãos varia muito pouco em comparação com os não-cristãos, com grande exceções, é óbvio. Tristemente, os cristãos obedecem apenas às leis que lhes interessem, "seletivamente".

"Os cristãos não são salvos apenas de alguma coisa (pecado), mas também para alguma coisa (o senhorio de Cristo sobre toda a vida). A vida cristã começa com a restauração espiritual, a qual Deus trabalha com a pregação de  sua palavra, a oração, as ordenanças, o louvor e o exercício dos dons espirituais dentro da igreja local.

Medite: Somente a pessoa redimida e cheia do Espírito Santo de Deus, pode genuinamente conhecer e cumprir os planos de Deus.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Mamom, o senhor do dinheiro...

Os antigos Filisteus, povo que viveu na orla do Mediterrâneo, cultuavam uma divindade chamada: "Mamom", deus da riqueza, dos bens materiais, do dinheiro. Jesus Cristo fez referência a essa divindade no Sermão da Montanha, orientando os seus discípulos a não servir a dois senhores, quando afirmou: "- Não podeis servir a Deus e a Mamam”. (Mateus 6: 24).

Tradutores de algumas versões da bíblia sagrada substituíram o nome próprio dessa divindade filistéia (Mamom), pela palavra riquezas, o que não deixa de ser uma agressão ao texto original e inaceitável pelo princípio gramatical que não autoriza traduzir nome próprio, e sim transliterar. Como pode as escrituras consideradas sagradas sofrerem tantas alterações nas mãos desses “camelôs de bíblias?”.

Mas, digamos que mesmo agredindo o texto original, o tradutor quis com isso, orientar os estudantes do texto sagrado, a viver um tipo de amor exclusivo a Deus, onde o desejo excessivo pelo acúmulo de bens materiais não encontre espaço nessa relação divino-humana. Parece que foi isso que os franciscanos entenderam igualmente a madre Tereza de Calcutá, Tolstoi, Santo Agostinho e outros, que fizeram do isolamento em mosteiros e da abnegação da vida luxuosa, um estilo de vida que os tornou diferentes de muitos religiosos.

Entretanto, o que Jesus queria mesmo dizer? Será que para se servir a Deus tem que se viver mesmo na extrema pobreza?

Não posso entender assim, pois a hermenêutica não conduz a esse tipo de interpretação. No texto em referência, Jesus diz: “- Não podeis servir a dois senhores”.

Veja o verbo servir. Isso implica em subserviência, submissão, situação de serviçal, escravo, subjugado.

Ora, o que Jesus está orientando aos seus seguidores com base nessa advertência é da necessidade de se fugir de tudo aquilo que as riquezas “podem causar de mal”, como a arrogância, avareza, a luxúria, o  poder econômico, suborno, subjugar as pessoas a partir de suas necessidades essências. E, ainda, das mazelas do sistema econômico religioso em que, infelizmente, muitos estão envolvidos.

A quem esses caciques religiosos estão servindo? Em que se fundamentam suas brigas? Em qual tipo de visão e objetivos estão ligados? São mesmo representantes de Deus aqui na terra? A transpiração deles tem poder de curar ou está contaminada pela química da ganância do capitalismo religioso?

Acredito que, com raríssimas exceções, são todos farinha do mesmo saco, gigantes doentes, leões famintos, manipuladores saturados pelo mesmo sentimento, desprovidos do Deus e da Verdade, servindo não a Deus Altíssimo, mas sim, ao deus Mamom.

Fonte de estudos e pesquisa: http://www.afnoticias.com.br

Isaque & Lúcia - O meu cálice


Para mais informações e adquirir este ou outros CDs/DVDs, dos queridos Pastores Isauqe e Lúcia, faça contato por intermédio de endereço nesta página...



terça-feira, 22 de outubro de 2013

Maria mãe de Jesus Cristo; e sua posição na Bíblia Sagrada...


Maria procurou interferir na obra salvífica de Jesus Cristo por três vezes durante o seu ministério. A primeira vez que Maria assim o fez foi quando Jesus visitou o templo, na idade de 12 anos. E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu, ansiosos, te procurávamos. E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai? (Lucas 2.48-49).
Na segunda vez foi na festa de casamento, em Caná da Galiléia: E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher; que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora (João 2.3-4).
E a terceira vez foi em Cafarnaum, quando Jesus estava pregando: Chegaram, então, seus irmãos e sua mãe; e, estando de fora, mandaram-no chamar. E a multidão assentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos te procuram e estão lá fora. E ele lhes respondeu, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos? E, olhando em redor para os que estavam assentados junto dele disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos. Portanto qualquer que fizera vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha mãe (Marcos 3.31-35).
Mesmo quando Jesus foi interrompido no seu discurso por uma mulher que elogiava Maria por lhe ter amamentado e lhe dado à luz, Jesus não elogiou a mulher: Disse a mulher: Bem aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste! Mas ele disse: Antes, bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam (Lucas 11.27-28). Jesus assim falando, afirmou que existe mais bem-aventurança em ouvir a Palavra de Deus e guardá-la do que ter sido filho de Maria.
Em outras ocasiões mencionadas na Bíblia Sagrada onde Maria aparece, notamos o seguinte:
1. Maria, ao receber a notícia que seria mãe do Salvador, se pronunciou como necessitada de um Salvador: Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador (Lucas 1.46-47).
2. Quando os magos visitaram Jesus, na sua infância, dirigiram-se a Jesus e não a Maria. E o que lemos em Mateus 2.11: E, entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram. Como se vê, os magos não adoraram Maria, mas adoraram Jesus.
3. A última referência bíblica a Maria é a que se vê em Atos 1.14 quando ela se encontrava em oração com os demais seguidores de Jesus: Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com seus irmãos. Fora isso, nada mais se lê no livro de Atos sobre Maria, assim como em todo o restante do Novo Testamento.
Fonte de estudos e pesquisa – Série Apologética, Vol 1, Ed. ICP.
_________________________________________________________
Para saber mais sobre o Catolicismo – O CACP disponibiliza para você, por um preço especial, os seguintes produtos:

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Deus, as diversas Religiões e na Ciência...

As concepções sobre Deus têm variado ao longo do tempo e do espaço, conforme as diferentes culturas que as adotam. Historicamente é possível encontrar diversificadas definições sobre a divindade, desde tribos ancestrais até os princípios dogmáticos das religiões modernas.

Deus é concebido a maior parte das vezes como o Criador do Universo, Aquele que tudo rege. Na Teologia Ele tem sido definido através de atributos como a onisciência, a onipotência, a onipresença, a suprema bondade, a sagrada modéstia, o sublime desvelo, Ser transcendente, eterno e desprovido de corpo, de quem nasce toda a moral. Tanto judeus quanto cristãos e muçulmanos têm tolerado estes conceitos com maior ou menor intensidade.
Na Idade Média, vários pensadores, como Santo Agostinho e Tomás de Aquino, elaboraram teorias defendendo a existência de Deus, lutando contra ilusórias incoerências inerentes às qualidades atribuídas à Divindade. Ao longo da História as idéias sobre Deus revelaram-se bem diversificadas. Desde o nascimento da Humanidade surgiram as diferentes formas de compreender o Sagrado – como a percepção abraâmica de Deus, também conhecida como monoteísmo do deserto; assim se denominam as religiões provenientes das convenções dos semitas, que têm como ícone a figura do patriarca Abraão, ou seja, o cabalismo judaico, o Islamismo e a trindade defendida pelo Cristianismo.
Outra visão importante de Deus provém dos cultos indianos, que não são homogêneos em sua forma de conceber a Divindade, mas se diferenciam de uma doutrina para a outra, conforme a área da Índia enfocada e a casta em questão, desde as que possuem uma crença monoteísta até as que professam o politeísmo. No Budismo Ele não é percebido do ponto de vista teísta, ou seja, da fé na existência de um único Deus, criador do Universo, pois apesar de postular a realidade de vários deuses, esta religião vê estas entidades tão somente como seres que residem, por algum tempo, em universos divinos que oferecem aos seus habitantes uma intensa felicidade, mas que ao mesmo tempo estão submetidos ao jugo da morte e à ocasional reencarnação em mundos inferiores.
Hoje aparecem novos conceitos sobre Deus, como a Teologia do Processo ou Teologia Neoclássica, segundo a qual esta entidade não pode ser considerada onipotente se isto indicar que Ele deve ser repressor, e a Divindade não seria perfeita se fosse restringida pela presença de determinados atributos, entre outros princípios; e o Teísmo Aberto, teologia que rejeita a onipotência, a onipresença e a onisciência de Deus.
No Ocidente, atualmente, chega-se a autores que defendem a morte de deus, na verdade não do Ser em si, mas do conceito que predomina sobre a Divindade na esfera ocidental, revelando o desencanto do mundo, no sentido da idéia defendida pelo filósofo Max Weber. Isto significa que a idéia sobre o Divino estaria exilada dos distintos círculos da existência humana, tanto do social quanto do pessoal.
Alguns também lançam hipóteses sobre uma origem extraterrena de Deus, na linhagem de escritores como Erich Von Däniken, autor de Eram os Deuses Astronautas, enquanto outros, como o também escritor de ficção científica, Arthur C. Clarke, defendem a possibilidade Dele ser futuramente gerado pelo Homem, como uma espécie de inteligência artificial. Há igualmente estudiosos que consideram as religiões e, portanto, Deus, nada mais do que mitos, frutos do medo da morte e daquilo que não se conhece.


A visão científica condena os dogmas, rejeitando assim as religiões que se baseiam nestes princípios, os quais vão contra as mais recentes descobertas científicas, e assim não atualizam seus postulados, o que gera um inevitável confronto entre a Ciência e a Religião. Até mesmo os que têm fé em Deus hoje questionam determinados ensinamentos dogmáticos transmitidos pelas crenças que neles se fundamentam, o que abre um vasto campo para o crescimento do materialismo e do ateísmo declarado. As religiões atingem neste momento um impasse nunca antes vivenciado, pois o desenvolvimento tecnológico invalida, em nossos dias, muitos dos dogmas até agora considerados verdadeiros alicerces das crenças partidárias do dogmatismo.

Fontes estudo e pesquisa:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Teísmo_aberto
http://pt.wikipedia.org/wiki/Teologia_do_processo
http://pt.wikipedia.org/wiki/Deus_no_budismo
http://pt.wikipedia.org/wiki/Religião_abraâmica
http://www.gotquestions.org/Portugues/fe-Deus-ciencia.html
http://o-reino-dos-fins.blogspot.com/2008/05/morte-de-deus-ou-o-nascimento-da.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Deus

sábado, 12 de outubro de 2013

Livro da Vida do Cordeiro...

“Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então se abriam livros. Ainda outro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforma o que se achava escrito nos livros (…) e se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo” (Apocalipse 20:12-15).


Livro da Vida do Cordeiro está citado na bíblia sagrada, no livro de Apocalipse, e trata sobre a salvação, o encontro da noiva adornada com o seu esposo, ou seja, de Jesus Cristo com a Sua Igreja.
autor do livro Apocalipse (que quer dizer “Revelação”), o apóstolo João, é levado ao topo de uma alta montanha por um dos sete anjos, que carregam sete taças na mão, para ver de perto a esposa do Cordeiro, a Santa Cidade de Jerusalém. Do alto ele vê uma grande cidade descendo do céu, vinda de Deus. De acordo com as escrituras sagradas, a cidade tem a glória de Deus e descreve seu esplendor através das pedras preciosas.
Não se trata exatamente da Jerusalém “física” citada na bíblia. Esta é a visão de uma Jerusalém celestial, que tem alta muralha, segura e intocável, onde os anjos de Deus guardam as portas cujos nomes das doze tribos de Israel e em seus fundamentos estão os nomes dos doze apóstolos. Esses nomes podem ser um indicativo que abrangem a Israel do Antigo Testamento e a igreja do Novo Testamento, testificando a perfeição, a vida e a magnitude de toda a Palavra de Deus. O último capítulo da bíblia alerta para que se alguém acrescentar ou tirar qualquer coisa das palavras deste livro (a Bíblia) será acrescentado os flagelos descritos nele; o próprio Jesus disse que céus e terra passarão, mas a Sua Palavra não passará, entre outras referências.
Sobre a Jerusalém celestial, no encontro da noiva com o cordeiro, outras características são mencionadas na narrativa bíblica. A referência ao livro da vida do Cordeiro, está num contexto onde a nova Jerusalém já não tem mais um templo como antes, no Antigo Testamento, onde o templo era considerado o local onde Deus habitava. Agora, na ressurreição de Jesus Cristo o templo é formado pelas próprias pessoas que venceram, que creram Nele, “pegaram sua cruz e o seguiram”. Dessa forma, o Espírito de Deus habitou dentro de cada cristão.
Após a separação do joio e do trigo, onde Jesus fará a Sua colheita, não passaram pelas portas da Jerusalém nada que a contamine, entre outros critérios: “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte” (Apocalipse 21:8).
E passarão pelas portas somente os que estão inscritos no Livro da Vida: “E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra. E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite. E a ela trarão a glória e honra das nações. E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (Apocalipse 21:23-27).

Fontes de estudo e pesquisa:
Bibliografia: A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Momento Missionário! Convite Especial!

Todo o 2º Domingo de cada mês às 19:00 horas, acontece em todo o Ministério ADET - Assembleia de Deus de Taguatinga e em todas as suas Congregações no Brasil e no Mundo o Culto denominado de Missões organizado pela Secretaria de Missões, que tem por principal objetivo louvar e adorar à Deus, apresentar os trabalhos missionários realizados por seus missionários em campo no Brasil e no Mundo. Você é nosso convidado especial! Acesse para saber mais: http://www.adet.com.br ou http://www.adetasanorte.com.br



Jesus está voltando!

O fim dos tempos já chegou para quem fechou os olhos e não aceitou a Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador, Deus lhe dá mais uma chance, aceite nosso convite ou vá até uma Igreja Evangélica de seu conhecimento, sinta-se a vontade para receber Deus Ele te espera... "Um desastre depois do outro; toda a minha terra foi devastada. Num instante as minhas tendas foram destruídas; e os meus abrigos, num momento. Jeremias 4:20"

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Presidente russo afirma que defenderá valores cristãos...

Cristão, Sociedade

Presidente russo afirma que defenderá valores cristãos no país e sugere que nações combatam a perseguição religiosa

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:
Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Os valores cristãos e a perseguição religiosa sofrida por seguidores de Jesus Cristo em países onde estes são minoria foram tema de discursos do presidente russo Vladimir Putin.
Presidente russo afirma que defenderá valores cristãos no país e sugere que nações combatam a perseguição religiosaVisite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel Segundo Putin, as pessoas vão perder a sua dignidade humana sem os valores consagrados no cristianismo e outras religiões mundiais, e viver sem padrões morais que levaram milênios para tomar forma: “Acreditamos que é natural e apropriado defender esses valores. Qualquer minoria merece respeito pela sua identidade distinta, mas os direitos da maioria não devem ser questionados”, afirmou.
Preocupado com a influência que o secularismo globalizado poderia exercer na cultura russa, Putin lamentou o que tem sido visto no mundo ocidental: “Muitos países euro-atlântico embarcaram efetivamente num caminho de renúncia às suas raízes, inclusive valores cristãos, que são a base da civilização ocidental. Isso envolve a negação de princípios morais e qualquer identidade tradicional – nacional, cultural, religiosa ou mesmo sexual”, alertou.
De acordo com informações do Interfax, Vladimir Putin denunciou que a movimentação política dos grupos de ativistas gays visam impor seu estilo de vida sobre toda a sociedade.
“As políticas perseguidas por eles colocam grandes famílias e parcerias do mesmo sexo na mesma categoria, a crença em Deus e a crença em satanás. Excessos do politicamente correto chegam ao ponto onde há discussões sérias sobre o registro de partidos que têm propaganda da pedofilia como seu objetivo. Pessoas em muitos países europeus têm vergonha e medo de falar sobre sua religião, os feriados são abolidos ou renomeados com títulos que escondem timidamente a natureza dos feriados. Essas tentativas agressivas são feitas para forçar este modelo para o resto do mundo”, repudiou o presidente russo. “Este é um caminho direto para a degradação, primitivismo, crises demográficas e moral profundas. O que pode ser a melhor indicação de uma crise moral da sociedade humana do que a perda da capacidade de auto-reprodução?”, questionou.
Vladimir Putin também falou sobre a perseguição a cristãos em países de maioria islâmica e afirmou que observa “com preocupação” as muitas das regiões do mundo onde as “tensões religiosas estão aumentando, e os direitos das minorias religiosas estão sendo violados, incluindo cristãos e cristãos ortodoxos”.
Putin afirmou que é necessário que lideranças políticas de todo o mundo atuem no sentido de criar medidas que preservem os direitos das populações cristãs e evitem a violência infligida contra os fiéis em muitos países, segundo informações do Washington Post.

Fonte de estudos e pesquisa: http://noticias.gospelmais.com.br

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Piercing e Tatuagens - Parte 2

Os jovens da igreja de hoje estão se deixando influenciar pelo modismo do mundo. Alguns dizem que é necessário para evangelizar as pessoas, outros dizem que a igreja precisa mostrar que não é radical e ainda escutamos diversos absurdos.
Esse texto traz como tema principal o Piercing. Esta indumentária para o corpo surgiu na Índia há bastante tempo. Sua função é trazer mais um adorno, uma diferenciação, uma certa forma de beleza estética. Mas para quê fazer isso?
Todos os Piercings indianos são dedicados a deuses e/ou ídolos regionais e territoriais. A partir do momento que você coloca um Piercing em seu corpo você está sujeito a uma atuação demoníaca, mesmo que você não queira ou não saiba que isso vai acontecer. O diabo não está nem um pouco interessado em saber qual é a sua intenção, ele não quer saber se você sabe ou não o significado do que você está fazendo; ele apenas usa suas artimanhas para se apoderar da sua vida.
Portanto, vou explicar um pouco dos significados dos Piercings nas partes do corpo mais comumente utilizadas para sua colocação, segundo estudos feitos por pastores (não foi citada uma fonte segura quanto a origem desses argumentos, mas há uma grande correlação com as partes do corpo na quais eles são colocados e seu reflexo no mundo espiritual, visto que as partes do corpo citadas abaixo têm uma influência muito grande na vida das pessoas, na área da fala, visão, gestação, sexualidade, sensualidade e outras, além de denotarem os chamados "chacras energéticos").

Nariz: O Piercing colocado no nariz significa DOMÍNIO e seu sentido no mundo espiritual é uma distorção do caráter e um direcionamento que causam rebeldia e uma autoconfiança muito exacerbada.


Sobrancelhas: O Piercing nas sobrancelhas dá vazão para um APRISIONAMENTO DA MENTE, causando um bloqueio na mente de quem os usa. Para essas pessoas nada tem grande importância principalmente na vida espiritual.
 
Orelhas: O Piercing nas orelhas, muito comum, significa APRISIONAMENTOS EM ÁREAS ESPECÍFICAS do corpo, podendo ser bloqueio do sistema nervoso, sistema simpático e sistema parassimpático. As pessoas que os usam podem sofrer de problemas na coluna, útero, alterações de libido e personalidade e, também, alterações genitais.
 
Umbigo: Um dos piercings que estão mais na "moda" é colocado no umbigo. Este está na área destinada a ALIMENTAÇÃO. Serve como um local de canalização de espíritos satânicos no corpo de quem os usa. Ele representa a exposição do corpo, visto que as pessoas que os usam gostam de deixá-los à mostra.
 
Lábios: O Piercing nos lábios significa um DOMÍNIO NA FALA; assim como o que é colocado na gengiva. As pessoas que os usam estão propensas a ter insegurança nessa área, dificuldades para uma boa comunicação, etc. Seu significado na vida dessas pessoas é como de um cabresto e pode ser representado na forma de gagueira. A diferença entre o colocado nos lábios e o que é colocado na gengiva, é que o segundo representa a LUXÚRIA.
 
Órgãos Genitais: O Piercing nos órgãos genitais traz como significação principal a PROSTITUIÇÃO. Ele pode causar um estímulo intra-uterino para atuação de espíritos nessa área causando esterilidade e outros problemas nas mulheres e, também, nos homens. Ele trás uma atuação na área da prostituição na vida das pessoas que o utilizam.

Bem, significa que todas as pessoas que você vir com esses tipos de piercings estarão manifestando esses sintomas que foram ditos? Não, nem sempre. Mas digo que no mundo espiritual elas estão aprisionadas de alguma forma por essas marcas que elas carregam no corpo. Pois está escrito que "Não farão os sacerdotes calva na cabeça, e não raparão os cantos da barba, nem farão lacerações na sua carne". (Levíticos 21:5.) E também: "Não fareis lacerações na vossa carne pelos mortos; nem no vosso corpo imprimireis qualquer marca. Eu sou o Senhor." (Levíticos 19:28.)
Na atualidade, as pessoas que usam esse tipo de indumentária, são tidas como rebeldes, marginalizadas da sociedade, exibicionistas, enfim não recebem muito crédito e muitas vezes são descriminadas. Portanto, como nós cristãos devemos nos apresentar? Como pessoas estranhas, rudes, descriminadas ou como filhos do Senhor agradáveis em todos os aspectos inclusive o visual? Não para Deus, pois Ele vê nosso coração, mas devemos lembrar que as pessoas não têm essa capacidade!

Está escrito claramente na Palavra do Senhor que qualquer tipo de marca ou laceração (que não seja feita com um direcionamento do Senhor) na pele, não O agrada. Portanto, como piercings e tatoo são marcas ou lacerações, podemos concluir que não agradam ao Pai. Um dos motivos dele ser colocado: preencher a falta de algum vazio dessa pessoa, que precisa de um "chamativo" para ser vista pela sociedade, quando na verdade o que ela precisa mesmo é de buscar mais de Deus em alguma área da sua vida para preencher esse vazio.

Agora que já sabe que alterações no santuário do Espírito Santo não agradam ao Senhor, você pode optar por ser abençoado(a) e abundar na graça e na unção do Pai. O Senhor é um Deus de amor e quer sempre o melhor para Seus filhos e nunca vai querer que nenhum de nós se perca por causa das armadilhas de satanás. Somos mais que vencedores em Cristo Jesus!!! Romanos 8:37

Fonte de Estudos e Pesquisa: http://www.melodia.com.br 

sábado, 5 de outubro de 2013

Páscoa - Parte 2

Embora o nome "Páscoa" semanticamente derive do termo “Pessach” (do hebraico ‘passagem’), a festa cristã da Páscoa está muito longe do Pessach descrito na Bíblia Sagrada.  Apenas para facilitar a identificação, chamaremos de “Páscoa romana” a festa cristã, e manteremos o nome “Pessach” para o festival bíblico. O objetivo deste artigo é verificar se a “Páscoa” cristã é uma festa aprovada pelo Eterno Deus das Escrituras/Bíblia.

1 – ORIGEM DA PÁSCOA ROMANA

Sabemos que atualmente a “Páscoa romana” sofre alterações a cada ano. Tal fenômeno é explicado assim, em Schaff-Herzog Ency. O conhecimento religioso, Vol. 2, p. 682:
“A presente variação de tempo foi estabelecida pelo Romanismo primitivo misturado com um festival pagão muito antigo da primavera para a deusa da primavera. Esta data foi fixada no domingo imediatamente após o 14º dia da lua pascal que aconteceu sobre ou primeiramente após o equinócio vernal.”
No Concílio de Nicéia, mais uma vez vemos Roma adulterando as datas das Festas do Eterno Deus de Israel, para se distanciarem dos judeus, e coincidirem com os cultos aos deuses venerados pelo rei Constantino e sua turma.

2 – A “DEUSA” DA PRIMAVERA

A Babilônia "rainha dos céus," Semeramis, esposa de Nimrod, é a precursora de uma série de “divindades” de diferentes culturas: Astarte e da Vênus dos gregos, Juno do latim, Ashtoreth dos Sidonianos, Ishtar dos Babilônios, e de Eostre, deusa da primavera, dos primitivos Anglo-Saxões. Os druidas possuíam festivais religiosos em sua honra e ao deus-sol em Abril, chamando de a “Easter Monath”. É desta expressão que vem a palavra “Pascoa”, que vergonhosamente foi colocada como tradução de “Pessach” em algumas traduções populares da Bíblia para o Inglês chama-se ‘Easter’ (como a King James, por exemplo).
A deusa Ishtar, ou Eostre, foi adorada como sendo a deusa do amor e da fertilidade, e como a vida da natureza. Na mitologia babilônica esta "rainha dos céus" foi adorada como a deusa do impulso sexual. Na Enciclopédia Hastings de Ética Religiosa, p. 117, nós lemos sobre essas "antigas páscoas":
“Um banquete de primavera com celebração, festa. Estas ocasiões eram marcadas com uma grande liberação sexual.” Esta é a maligna adoração fálica à qual o Eterno Deus de Israel  se refere em Isaias 57:5-8 e Ezequiel 16:17. Os " bosques" mencionados como os "lugares altos" onde Israel freqüentemente se prostituia em idolatria (Salmos 106:28-39) eram as imagens e os lugares onde aconteciam esses festivais para a "rainha dos céus”. A palavra "bosques" encontrada quarenta vezes na versão King James em inglês vem da palavra hebraica “asherah” e é associada sempre com a adoração de Astarote, aliás Ishtar, Eostre, Easter, a deusa da primavera.

3 – ORIGEM DA “QUARESMA”

A chamada "quaresma” é uma prática de origem puramente babilônica. No inglês, esta época é chamada de “Lent Season”, e vem da palavra saxônica "Lenct", significando "primavera". As religiões pagãs primitivas do México também comemoram quarenta dias em abril. A origem desta comemoração está nos quarenta dias no equinócio vernal em Abril, celebrados pelos adoradores do demônio do Curdistão, em honra ao deus-sol. Esta prática foi trazida da Babilônia em 2000 AC. Sua origem está no “lamento por” Tamuz. O deus-pagão Tamuz era supostamente a reencarnação do marido de Ishtar/Semíramis, chamado Nimrode. Na primavera, celebrava-se o renascimento dos mortos. Era um tempo de lamentação seguido por um dia de alegria. O Eterno Deus condenou Israel por tomar parte nessa celebração como vemos em Ezequiel. 8:13-14:  Ele me disse, "Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estes fazem. "Então trouxe-me à porta da casa do SENHOR que estava para o norte, e estavam ali mulheres sentadas chorando a Tamuz.

4 - COSTUMES MODERNOS DE PÁSCOA

Uma boa pergunta: que conexão tem colombas pascais, ovos, coelhos e roupas novas com a ressurreição de Yeshua HaMashiach/Jesus o Messias? Obviamente que a resposta é: Absolutamente nada! A origem moderna da "Colomba pascal", um bolo feito em forma de cruz, é suficientemente explicada em Jeremias 7:18; 44:17-19: “As crianças recolhem a madeira e os pais acendem o fogo e as mulheres preparão sua massa de pão, para fazer bolos à rainha dos céus e para derramar as oferendas de bebida a outros deuses, isto eles fazem para provocar Minha ira, diz o SENHOR”
A ira de DEUS está certamente sendo provocada quando os que se dizem seus seguidores praticam costumes pagãos em relação à ressurreição de Seu filho amado Jesus Cristo.

4.1 – OVOS DE CHOCOLATE

O costume de dar ovos em Abril provavelmente vem da teologia e dos costumes encontrados entre os egípcios, persas, gauleses, gregos e romanos, entre os quais o ovo era um símbolo do universo — o trabalho do ser supremo. Tingir os ovos pode ser proveniente dos Chineses. Os ovos eram o símbolo sacrificial dos druidas. Roma, mais uma vez fazendo adições à Palavra do Eterno, consagrou o ovo como sendo o símbolo da ressurreição do Messias. O papa Paulo V ensinou os povos a orar a seguinte abominável “oração” na “Páscoa romana”: “Abençoa Senhor, nós te pedimos, a criatura deste ovo, que possa se transformar em sustento completo aos teus servos, que comem em memória do nosso Senhor Jesus Cristo.”
Os antigos babilônios acreditavam que um ovo caiu do céu no rio de Eufrates e os peixes o rolaram à costa onde as pombas o fizeram chocar e de onde saiu "a rainha dos céus", Ishtar. Desta forma, o ovo transformou-se num símbolo de Ishtar, deusa muito adorada pelos antigos, e é usado hoje por cristãos que a chamam ‘a mãe de Deus’, enganados e iludidos  pensam que estão celebrando uma festa santa! Não é à toa que as Escrituras Sagradas dizem que Satanás se transforma até em anjo de luz quando se trata de tentar enganar as pessoas!

5 – O COELHO

A moda do coelho na Páscoa pode ter sua origem num paganismo antigo originário da região onde hoje fica a Alemanha. Às crianças eram dito que se fossem boas, um coelho branco colocaria dentro de suas casas enquanto elas estivessem dormindo, e em segredo, o maior número de lindos ovos coloridos, em cantos ímpares da casa. Assim, aparentemente teve inicio a inocente "caça aos ovos de Páscoa" das crianças. O coelho, para os antigos, era um símbolo da lua (a ligação entre o sol Venus ou Ishtar), ele que é um animal noturno. A lebre é o único coelho que nasce com seus olhos abertos. A palavra egipcia para lebre é "un", que significa "abrir". Assim a lebre foi associada com a abertura de uma estação nova, a primavera, em Abril, no equinócio vernal. As lebres e os ovos eram também usados como simbolismo no Egito na abertura de seu ano novo, em que os ovos eram quebrados cerimonialmente.

6 – MISSA DO GALO

Por fim, e os serviços religiosos ao nascer do sol na “Páscoa romana”? Ser condenação divina? á que Deus aprova? Vejamos o que diz a Bíblia Sagrada. Quando Israel desejou fazer "serviços ao nascer do sol", o Eterno Deus expressou Sua desaprovação em Ezequiel. 8:15-18: "Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estas  que fazem.". E levou-me para o átrio interior da casa de DEUS, e eis que estavam à entrada do Templo de DEUS, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o Templo de DEUS, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente adoravam o sol...... ainda que me gritem aos ouvidos com grande voz, contudo não os ouvirei.”
Lendo isto na Bíblia e sabendo que o deus-sol, Ba’al, ou Tamuz, o "marido-filho" de Semíramis (Ishtar) e o seu culto idólatra estão por trás do princípio da adoração a praticamente todos os deuses pagãos, o seguidor sincero de DEUS não pode tomar nenhuma parte em rituais de “Páscoa” feitos por um mundo que rejeita o Messias/Jesus, pois o Eterno Deus nos proibiu de misturarmos sagrado com profano, e sabemos sem sombra de dúvida da origem pagã desses costumes:
"não tenha comunhão alguma com os trabalhos infrutíferos da escuridão, mas antes reprove-os." (Efésios 5:11).  A Bíblia Sagrada nos lembra: "Não seguirás uma multidão para fazeres o mal;" (Êxodo 23:2). E o próprio Jesus disse: "porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação" (Lucas 16:15). Lembremo-nos das palavras de Paulo, de que não devemos misturar o que é pagão às coisas de Deus: "Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? Que harmonia há entre o Messias e Belial/demonio? ou que parte tem o crente com o incrédulo? E que consenso tem o santuário de Deus com demônios? Pois nós somos santuário do Deus vivo, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo." (2 Coríntios 6:14-16)
E ainda: "E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12:2)

* Para simples explicação do que é "Equinócio Vernal":


Equinócio é uma palavra que deriva do latim (aequinoctium), e significa “noite igual”, e refere-se ao momento do ano em que a duração do dia é igual à da noite sobre toda a Terra.
           Astronomicamente isto se dá quando a Terra atinge uma posição em sua órbita onde o Sol parece estar situado exatamente na intersecção  do círculo do Equador Celeste com o círculo da Eclíptica; ou seja, instante em que o Sol no seu movimento anual aparente pela Eclíptica, corta o Equador Celeste, apresentando declinação de 0º.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Evolução Humana...

Evolução humana

Em oposição ao criacionismo, a teoria evolucionista parte do princípio de que o homem é o resultado de um lento processo de alterações (mudanças). Esta é a idéia central da evolução: os seres vivos (vegetais e animais, incluindo os seres humanos) se originaram de seres mais simples, que foram se modificando ao longo do tempo.
Essa teoria, formulada na segunda metade do século XIX pelo cientista inglês Charles Darwin, tem sido aperfeiçoada pelos pesquisadores e hoje é aceita pela maioria dos cientistas.
Após abandonar seus estudos em medicina, Charles Darwin (1809 – 1882) decidiu dedicar-se às pesquisas sobre a natureza. Em 1831 foi convidado a participar, como naturalista, de uma expedição de cinco anos ao redor do mundo organizada pela Marinha britânica.
Em 1836, de volta  à Inglaterra, trazia na bagagem milhares de espécimes animais e vegetais coletados em todos os continentes, além de uma enorme quantidade de anotações. Após vinte anos de pesquisas baseadas nesse material, saiu sua obra prima: A Origem das Espécies através da seleção natural, livro publicado em 1859.
A grande contribuição de Darwin para a teoria da evolução foi a idéia da seleção natural. Ele observou que os seres vivos sofrem modificações que podem ser passadas para as gerações seguintes.
No caso das girafas, ele imaginou que, antigamente, haveria animais de pescoço curto e pescoço longo. Com a oferta mais abundante de alimentos no alto das árvores, as girafas de pescoço longo tinham mais chance de sobreviver, de se reproduzir e assim transmitir essa característica favorável aos descendentes. A seleção natural nada mais é, portanto, do que o resultado da transmissão hereditária dos caracteres que melhor adaptam uma espécie ao meio ambiente. [...]
A idéia seleção natural não encontrou muita resistência, pois explicava a extinção de animais como os dinossauros, dos quais já haviam sido encontrados muitos vestígios. O que causou grande indignação, tanto nos meios religiosos quanto nos científicos, foi a afirmação de que o ser humano e o macaco teriam um parente em comum, que vivera há milhões de anos. Logo, porém surgiria a comprovação dessa teoria, à medida que os pesquisadores  descobriam esqueletos com características intermediárias entre os humanos e os símios.


Fonte de estudos e pesquisa: http://www.sohistoria.com.br

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Infiltração Maligna na Igreja Cristã!

Escolha uma cor para o fundo:  


A Infiltração Ocultista na Igreja Cristã Visando Destruí-la a Partir de Dentro

Recursos úteis para sua maior compreensão

As Igrejas Cristãs Estão Abrindo as Portas Para o Anticristo


Título do Livro 2


Título do Livro 3
Nossa autora convidada, Berit Kjos, expõe como a igreja cristã está sendo infiltrada e destruída. Falsos líderes "cristãos" estão levando denominações inteiras à religião global do Falso Profeta.
A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?
Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!
Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!
Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.
Agora você está com a "THE CUTTING EDGE"

"Assim diz o SENHOR: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele." [Jeremias 6:16].
Resumo da Notícia: "Grupo Ganha a Luta Contra os Clérigos Homossexuais", por Dylan T. Lovin, Yahoo News, 19/2/2002, Associated Press.
"Louisville, Kentucky — Na terça-feira, os conservadores na Igreja Presbiteriana dos EUA rejeitaram uma proposta que teria permitido aos homossexuais ocupar posições de autoridade na denominação. Os conservadores ganharam o apoio da maioria das legislaturas regionais da igreja e, desse modo, estorvaram uma tentativa de anular uma proibição de 1997 quanto à ordenação de homossexuais não-celibatários. Os estatutos da igreja prescrevem que os clérigos e leigos que ocupam cargos devem "viver em fidelidade dentro da aliança do matrimônio entre um homem e uma mulher, ou solteiros, mas em castidade". A Assembléia Geral da igreja votou no verão passado a recomendação para o cancelamento dessa proibição. Desde outubro, as legislaturas regionais da igreja, conhecidas como presbitérios, votaram a manutenção ou anulação da proibição, e a decisão requeria a aprovação pela maioria, ou 87 dos 173 presbitérios."
Para uma igreja cristã estabelecida como a virgem "noiva de Jesus Cristo", como foi que chegamos ao ponto em que uma grande denominação protestante está debatendo a questão se clérigos homossexuais devem ou não "ocupar posições de autoridade dentro da denominação"? Além disso, como poderia uma Assembléia Geral ter realmente votado a anulação de um estatuto existente, que está baseado em um princípio bíblico? Esse tipo de apostasia está se tornando desmedido no mundo inteiro, afetando a vasta maioria das denominações atualmente.

Assim, a questão da hora é: Como as igrejas cristãs caíram nesse erro tão profundo? Como se afastaram da âncora da doutrina bíblica?
A resposta é que o mundo está agora no fim dos tempos. Em muitos artigos anteriores, demonstramos o fato que as profecias bíblicas referentes ao fim dos tempos não poderiam iniciar sem que Israel voltasse à sua terra [Joel 3:1]. Uma vez que Israel tenha retornado à sua terra, a profecia de Jesus Cristo em Mateus 24:33 torna-se verdadeira, na nossa vida e nas notícias do dia-a-dia.
"Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas."
Em seguida, o apóstolo Paulo oferece o resto da resposta em 2 Tessalonicenses 2:3, ao esclarecer as dúvidas que os tessalonicenses tinham a respeito do Dia do Senhor — o Período da Tribulação — se já tinha ou não chegado. Uma vez que você compreenda esse princípio, estará no caminho correto para compreender especificamente como ocorreu esse terrível afastamento doutrinário.
"Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição."
Em outras palavras, no fim dos tempos, a igreja cristã apostatará terrivelmente, e essa apostasia abrirá a porta para o Anticristo! Quantos professores de seminários, líderes e pastores liberais já pararam para pensar que suas ações estão literalmente abrindo a porta para o Anticristo? Embora você possa pensar que a resposta seja "Não muitos", a realidade é bem diferente. Provavelmente, a maioria dos líderes liberais sabe exatamente o que está fazendo, como você descobrirá ao ler o texto a seguir, escrito por nossa autora convidada, Berit Kjos.

Reinventando a Igreja — Implantando Padrões e Crenças Ocultistas


"As igrejas parecem temerosas de investir em novos modos de ser igreja, libertando-se de modelos antiquados e tradições irrelevantes, para viver o evangelho num contexto do século 21." [1] Líderes em Ação, de George Barna, editora United Press.
"Nosso futuro comum dependerá da extensão em que as pessoas e líderes em todo o mundo desenvolverão a visão de um mundo melhor, as estratégias e as instituições, e então a alcançarão". [2] Comissão da ONU Sobre Governança Global.
"... há uma massa crítica substancial de pessoas e igrejas que já estão se mobilizando... Embora reconheça que existem ainda muitas igrejas não-saudáveis, há uma justificada 'mudança nas premissas, nas atitudes e na mentalidade básica... no geral, estamos em marcha..." [3]. "Peter Druker Fala Sobre as Igrejas e as Denominações" — Leadership Networks.

Padrões Bíblicos

"Assim diz o SENHOR: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele." [Jeremias 6:16].
"Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente." [Hebreus 13:8].
"Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos." [Malaquias 3:6].
Uma estranha distorção da verdade alastrou-se como fogo no cerrado nas igrejas do mundo inteiro. Ela chama o povo de Deus para não apenas compreender nossos tempos de mudança a partir da perspectiva do mundo, mas para realmente seguir o vento e ajudar a alimentar a transformação. Ela usa palavras antigas e familiares para persuadir as pessoas, mas conforma a Palavra de Deus, bem como o pensamento humano, com a visão politicamente correta da unidade, comunidade, serviço e mudança.
Os laboratórios do comportamento, escolas, a UNESCO, e as igrejas liberais ajudaram a acender esse fogo durante o século XX. Escondidos da vistas, seus esforços destruíram as bases bíblicas dos EUA e prepararam as massas para acreditar em uma mentira.
Agora, na aurora do novo milênio, as igrejas "conservadoras" e "evangélicas" estão seguindo o exemplo. Redes "cristãs" mundiais fornecem consultores treinados em liderança e em administração para "guiar" o povo de Deus nessa superestrada que leva a uma nova ordem mundial. Esqueça o antigo caminho estreito que leva à vida. Os "agentes da mudança" de hoje esperam popularizar o cristianismo com tanta eficiência que nações inteiras entrem e sigam suas cruzadas.
Esqueça o ensino bíblico sólido e a "ofensa da cruz". Para ganhar as massas "para Cristo", a igreja precisa se vestir de uma roupagem mais permissiva e apelativa. Ela precisa ser oferecida e anunciada para o mundo como "um lugar seguro", purificada dos padrões morais que despertam a convicção do pecado e um desejo de se separar da imoralidade do mundo. Assim, eles reimaginaram uma igreja em que a pessoa possa sentir-se bem consigo mesma e sem qualquer "ofensa" — uma igreja que o mundo possa amar e reconhecer como sua.
A marcha deles em prol de "um mundo melhor" está a caminho. Nessa nova igreja, o pensamento grupal, a contemporização, a solução dos conflitos, o processo dialético e o consenso facilitado estão na moda. A convicção sem contemporização e a resistência ao consenso do grupo estão fora da moda. O caminho de Deus parece intolerante demais para se adequar aos sistemas gerenciáveis do novo milênio. [Para compreender melhor esses termos, leia "Brainwashing in America", em http://www.crossroad.to/text/articles.html#br e "A Igreja do Povo — Fazendo a Obra de Deus com os Métodos do Homem", em Proc081800].

Guiando a Revolução

Difícil de acreditar? Então ouça a equipe de liderança escolhida por George Barna, fundador e presidente do Barna Research Group, para escrever o livro revolucionário, Líderes em Ação. Digo revolucionário pois ele realmente é. Na verdade, o livro propõe uma revolução na igreja e mostra aos líderes como gerenciá-la.
Doug Murren, fundador de igrejas e pastor efetivo da Igreja Quadrangular Eastside escreveu o capítulo intitulado, O Líder Como Agente de Mudança. Ele explica o primeiro passo no processo psicossocial da "mudança gerenciada". Observe que ele pega suas pistas de um experiente "agente de mudança" da Universidade de Stanford — como o MIT, Harvard e a Escola de Professores, na Universidade de Columbia — é uma grande instituição de pesquisa na área da transformação social, da propaganda persuasiva e da manipulação psicossocial:
"Arnold Mitchell, um psicólogo social de Stanford, passou anos estudando as atitudes e comportamentos do povo americano. Ele argumenta que são necessários três ingredientes para que a mudança ocorra. Primeiro, Mitchell nota que a mudança vem com a insatisfação... Os agentes de mudança eficientes avaliam as chances de mudança avaliando o nível de insatisfação dentro do grupo. Se a insatisfação é forte, o potencial para a mudança existe."
[Leia o artigo N1007 para ver como esse princípio está por trás da história dos séculos XIX e XX e está levando o mundo ao Anticristo. Agora, vemos essa mesma dialética hegeliana ser usada para mudar nossas igrejas cristãs! Nossa cultura está sendo manipulada para mudar por meio desse mesmo princípio chamado Plano das Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento (leia o artigo N1055)].
"Para ser eficaz, o líder também deve deliberadamente desenvolver a insatisfação...
"Preparar as pessoas para a mudança às vezes leva o que nos parece ser uma eternidade... Eu compartilhava estatísticas alarmantes ou até mesmo desconcertantes sobre onde estávamos como igreja e onde deveríamos estar, buscando criar o nível certo de insatisfação."
"Mudança positiva raramente sugere 'voltar ao que costumava ser'. A maioria das mudanças positivas que tenho testemunhado dizem respeito à criação de um futuro melhor ao invés do retorno a um passado que é lembrado com carinho." [4].
Observe que os "três ingredientes" do pastor Murren para mudar as pessoas não têm nada que ver com as diretrizes ou padrões de Deus. Eles têm tudo que ver com visões humanas enganosas de como "agentes de mudança" de elite podem controlar as massas. Os métodos de manipulação deles tornaram-se tão familiares que seus liderados praticamente não percebem o que está acontecendo. Para que você não esqueça, dê outra olhada nos passos iniciais:
1. Avalie (pesquise) as atitudes, valores e desejos do povo. Sua avaliação pessoal será o padrão para medir a mudança planejada nos meses e anos à frente.
2. Fomente a insatisfação com os modos antigos para que as sementes da revolução possam crescer sem arrependimentos. Na verdade, a própria pesquisa inicia a "insatisfação", pois uma "boa" pesquisa de igreja conteria questões que produzem ansiedade, que sugerem problemas internos e propõem o diálogo e as reclamações públicas.
3. Ofereça uma visão inspiradora de um "futuro melhor". O futuro melhor precisa ser um futuro aqui e agora — Um futuro que o homem possa criar com sua imaginação. É o oposto do futuro glorioso que Deus nos oferece para toda a eternidade. Nesse contexto de mudança mundana, o céu não serve a nenhum propósito terreal. Somente as visões que motivam os esforços coletivos e dirigem a transformação podem avançar os planos revolucionários.
Para guiar esse processo, são necessários líderes bem-treinados. É por isto que George Barna reuniu um "time de especialistas tão impressionantes como qualquer um pode imaginar" para escrever seu manual para a igreja. "Quinze pessoas contribuíram escrevendo capítulos para este livro... Creio que os esforços cumulativos desta equipe demonstraram o que significa cooperação". [5].
O próprio Barna escreveu o capítulo "A Visão". Ele explica, "Visão é, portanto, o vislumbrar do tipo de mundo no qual Deus quer que vivamos, um mundo que ele pode criar por meio de nós, se todos aqueles a quem ele chama como líderes cumprirem o seu chamado de acordo com a direção dada pelo seu Espírito." [6].
Essa afirmação soa como um oximoro? Ela é. Barna parece implicar que Deus recriará o mundo à nossa volta se os "agentes de mudança" atuais caminharem pelo Espírito. No entanto, esses líderes da "mudança administrada" foram treinados para seguir uma fórmula que nunca foi dada pelo Espírito Santo. O homem pode acabar atirando no seu próprio pé, mas Deus não nos dá instrumentos que se chocam com os...
Absolutos Bíblicos
1. Sua chamada para confiar nele, não em métodos e filosofias do homem.
2. Sua chamada para participar nos sofrimentos e nas perseguições que Cristo também sofreu.
Por exemplo, Barna propõe "ferramentas de avaliação preparadas para que você possa avaliar como está progredindo, fazendo o ajuste fino dos seus esforços de implementações à medida que avançar..."
No entanto, a verdade bíblica é que Deus não nos diz para continuamente avaliarmos nosso progresso. Ele nos diz para o amarmos, estudarmos sua palavra e seguir seus caminhos, mas deixar os resultados com ele. Ele é quem produzirá o fruto. Ele sabe que se continuamente medirmos nossos sucessos, poderemos sair de nossa dependência dele e passar a confiar em nossos próprios esforços. É por isto que Davi foi punido severamente por ter desobedecido a Deus ao contar (avaliar) o tamanho de seu exército vitorioso [2 Samuel 24].
A palavra e o Espírito de Deus precisam guiar nossos passos diários, não nossos padrões e medidas humanas para o sucesso. Além disso, os caminhos de Deus tendem a se chocar com a visão mundana de prosperidade, números e sucesso. No entanto, isso pouco importa para os mentores da "mudança gerenciada", cujos ouvidos estão atentos aos seus métodos em vez de ao seu Criador.

Moldando a Verdade Para se Adequar à Visão

Barna apresenta Jim Van Yperen, outro agente de mudança de sua equipe de especialistas, como "um estrategista de marketing e consultor de comunicação criativa". Van Yperen "trabalhou com uma grande variedade de igrejas, ministérios paraeclesiásticos e organizações sem fim lucrativo nas áreas de desenvolvimento de visão, planejamento estratégico, comunicações, desenvolvimento de recursos e resolução de conflitos."
Observe as palavras da moda; elas nos ajudam a identificar o processo de mudança sempre que as encontrarmos.
Van Yperen é um consultor, não um pastor, mas "serviu em várias igrejas como pastor interino intencional". Ele mesmo se contrata como pastor interino após levar a igreja pelas fases iniciais (avaliação, insatisfação, visão, etc.) do processo de mudança. Usando suas pesquisas estratégicas para avaliar as atitudes e necessidades da igreja, ele facilita os diálogos de grupo e os "diagnósticos" da saúde da igreja.
Como ele fala de forma persuasiva e gerencia bem esse processo, pode logo informar aos membros que a igreja deles tem algumas boas qualidades, porém os conflitos e as insatisfações atuais exigem a tomada de medidas drásticas. Para tornar-se uma "igreja saudável", ela precisa de liderança, de novas estruturas, de novas programações de atividades, de um novo modo de pensar e de uma nova ênfase no crescimento espiritual por meio dos relacionamentos de grupos.
Ele também ensina um novo modo de compreender a Bíblia. O capítulo que ele escreveu no livro de Barna, Conflito: O Fogo Purificador da Liderança contém uma seção intitulada "Afirme a Verdade na Comunidade". Ele ajuda a armar o cenário para o processo do consenso, sugerindo que a Bíblia pode ser melhor compreendida em grupos onde os membros consultam suas idéias e moldam seu consenso. Observe como essas diretrizes minimizam a ênfase do Novo Testamento em um relacionamento de amor pessoal com Jesus Cristo e maximiza a visão mundana do coletivo:
"Praticamente toda a Bíblia foi escrita para opor grupos de pessoas. Precisamos aprender a ler nossas Bíblias desta forma. Em vez de perguntar, "O que Deus está dizendo para mim?", precisamos perguntar, "O que Deus está dizendo para nós?"
"Responder ao poder com a verdade coloca Cristo no centro e constrói pontes com nossos irmãos e irmãs. Reconhece que nenhuma única pessoa conhece a verdade completa, portanto, precisamos uns dos outros. Isto abre a oportunidade para assumirmos nossas pressuposições honestamente, afirmarmos nossas convicções diretamente e permite que os outros coloquem suas perspectivas abertamente." [7; ênfase acrescentada].
Os agentes de mudança de hoje realmente não querem que todos "dêem sua perspectiva de forma aberta". Alguns fatos e observações do grupo podem derrubar o plano deles. Eles querem "insatisfação', mas não diferença de opinião. Querem tolerância, mas não com relação aos membros da igreja que não cooperam. Aqueles que são inimigos do progresso precisam ser disciplinados ou mudados.
Conversei com muitos cristãos humildes e fiéis que foram rotulados de "divisivos", ou críticos" pela nova liderança em sua amadas igrejas. Alguns receberam uma opção simples: desligar-se, ou parar de fazer perguntas difíceis. Outros ouviram que a confissão (confessar o pecado de "questionar" o processo de mudança, em vez de se submeter a ele) e aconselhamento com um agente de mudança selecionado seria um pré-requisito para poderem continuar na igreja e levar adiante seu ministério.
Em contraste com os críticos, o membro do grupo perfeito é flexível, cooperativo e tem a mente aberta — especialmente com relação às novas e diferentes formas de interpretar a Bíblia.

Pensamento Fora da Caixa e Fora da Bíblia

A reforma da igreja, como a reforma da educação, requer "pensamento crítico", mas poucos membros de igrejas conhecem o real significado dessa frase. Para pacificar os pais, os professores das escolas públicas poderiam defini-lo como "ensinar os alunos a pensar por si mesmos". Eles sabem que a revolução na educação prosseguirá bem mais tranqüilamente se os pais nunca perceberem que o "pensamento crítico" significa criticar e desafiar as crenças tradicionais, os valores e as autoridades.
O ex-pastor Kenneth O. Gangel, é deão acadêmico e vice-presidente de Assuntos Acadêmicos no Seminário Teológico de Dallas. É um autor prolixo, escreveu, Competent to Lead, e é considerado um especialista no assunto liderança. Uma escolha natural para a equipe do livro de George Barna, ele escreveu o capítulo intitulado "Que Fazem os Líderes".
Uma das seis tarefas de um líder, diz Gangel, é "pensar". Logicamente, todos nós pensamos. No entanto, no contexto da mudança gerenciada, pensar não é realmente pensar, a não ser que seu pensamento encaixe-se na nova fórmula.
O pastor Gangel cita Stephen Brookfield que, por dez anos, foi professor titular no Departamento de Educação de Adultos e Superior na liberal Escola de Professores, na Universidade de Colúmbia. Viajando como orador em conferências internacionais sobre educação no país e no exterior, Brookfield continua a servir como Professor Adjunto em Colúmbia. A frase que o pastor Gangel usou para suportar seu próprio ensino veio do livro de Brookfield, Developing Critical Thinkers:
"No centro do pensamento crítico está a capacidade de imaginar e explorar alternativas para as formas existentes de pensar e viver... Pensadores críticos estão constantemente explorando novas maneiras de pensar sobre aspectos de suas vidas."
"O pensamento crítico é complexo e freqüentemente causa perplexidade, uma vez que requer a suspensão de crenças e o abandono de posições anteriormente aceitas sem questionamento." [8].
Você pegou a mensagem? "Ele requer a suspensão de crenças e o abandono de posições anteriormente aceitas sem questionamento." Essa é a essência do pensamento "crítico"! Os gerentes da igreja não podem estabelecer a nova visão da "realidade" sem primeiro solapar as antigas crenças bíblicas. Antes de verem o sucesso, o grupo precisa deixar os antigos absolutos e ter a coragem de se deixar levar pelos ventos da mudança."
Ligar as antigas obstruções mentais aos sentimentos negativos agiliza o processo e traz mudança duradoura. É por isso que cada membro de grupo precisa aprender a associar o "pensamento ruim" do passado — incluindo os absolutos bíblicos que não podem ser dobrados para se adequar aos nossos tempos — com algo desagradável ou inaceitável [Veja "Mind Control Illustration", em http://www.crossroad.to/text/articles/mc9-24-98.html#Matt].
Por outro lado, "pensamento bom" precisa sentir-se bem e estar ligado com as coisas "certas" tais como paz e capacitação ou coisas divertidas, como liberdade para ler os livros da série Harry Potter ou assistir a um filme questionável. Essa ilusão da liberdade sem conseqüências é ilustrada por um conjunto de lições da Escola Intermediária publicada pelo ramo de currículo da poderosa e liberal Associação Nacional da Educação:

Pensamento Bom x Pensamento Ruim

"Este modelo nos ajuda a fazer algumas distinções válidas e úteis entre o pensamento bom e ruim. Aqui desejamos nos distanciar daqueles que igualam o pensamento bom com uma longa lista de operações mentais discretas e aqueles que descrevem o pensamento ruim em termos de vários erros lógicos.
"Os bons pensantes estão dispostos a pensar e podem até mesmo achar o pensamento agradável. Eles podem executar pesquisas quando necessário e suspender o julgamento. Eles valorizam a racionalidade, acreditando que o pensamento é útil para solucionar os problemas, chegar às conclusões, e fazer julgamentos. Os maus pensantes, por outro lado, precisam de certeza, evitam o pensamento, precisam chegar ao fechamento rapidamente, são impulsivos, e dependem fortemente da intuição." [9].
Essa questão está ilustrada em Novas Crenças para uma Aldeia Global:
A frase "suspender o julgamento" o faz lembrar da proposta do Dr. Brookfield para a "suspensão da crença"? Deve fazer! As duas frases enfatizam o mesmo ponto. Elas também mostram que a nova safra de líderes de igrejas estão simplesmente pegando as fórmulas pedagógicas e as estratégias psicossociais do mundo e misturando nelas "palavras cristãs" para disfarçar a origem não-bíblica e dispersar a oposição.
Você se pergunta como o pastor Gangel, o deão acadêmico do Seminário Teológico de Dallas, pôde usar o Dr. Brookfield — um agente de mudança globalista — como modelo e autoridade? Eu me pergunto isso e me entristece ver tal enganação nos altos níveis. [Mateus 24:24 em ação].
Não é segredo que a Escola de Professores, da Universidade de Columbia, adota o plano educacional da UNESCO e lidera o mundo no treinamento de professores-facilitadores para o novo sistema global de administração que não tem tolerância pela verdade bíblica. Como na ex-União Soviética, o objetivo da educação é "desenvolver um novo tipo de pessoa" — não com fatos e lógica, mas com as versões mais recentes de alta tecnologia das estratégias de mudança da mente utilizadas para manipular e monitorar a população.

Fique do Nosso Lado

Esta é uma guerra espiritual, amigos. "Por que não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." [Efésios 6:12].
Paulo nos diz para ficarmos firmes na vitória que Cristo já obteve por nós na cruz: "Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes." [Efésios 6:13].
A principal verdade tem que ver com a natureza do próprio Deus. Precisamos conhecê-lo como ele se revelou na sua palavra. Precisamos conhecer...
  • Sua justiça, para compreendermos suas misericórdias;
  • Sua ira, para apreciarmos seu admirável amor;
  • Seu poder, para confiarmos nele em nossas fraquezas;
  • Sua sabedoria, para permitir que ele sempre seja nosso guia.
A segunda verdade da armadura trata nossa nova identidade em Cristo. Se você realmente "está crucificado com Cristo" e cheio do Espírito Santo, pertence a ele. Você já é uma nova criatura", abençoada com um relacionamento pessoal com o rei do universo! Quando você tomar em seu coração a decisão de segui-lo, ele falará por meio de sua palavra e o guiará pelo seu Espírito em todas as dificuldades e desafios da vida a cada dia.
Jim Van Yperen pode dizer que a Bíblia precisa ser compreendida em grupos — como algo "escrito para grupos de pessoas, não para indivíduos". Não creia nisso. A Bíblia foi escrita para VOCÊ e para MIM, indivíduos de todas as épocas.
Como os argumentos sedutores da serpente no Jardim do Éden, essas palavras enganosas soam críveis porque a mensagem está revestida em meias-verdades. Certamente, precisamos uns dos outros, mas cada um de nós pode melhor encorajar os outros quando conhecemos a Jesus como nossa vida e sua palavra como nosso guia. Então, mesmo se precisarmos estar sozinhos por amor do seu nome, sua amável presença nos bastará. Muitos mártires que foram perseguidos e torturados podem testificar sobre a suficiência de Cristo quando todos os outros socorros falharam.
O que não precisamos é da dependência a um grupo que desvia nossos corações e nossa atenção para longe de Jesus Cristo e em direção às alternativas ocas. O consenso facilitado do grupo, que Van Yperen promove, treina as pessoas a contemporizarem sua compreensão da verdade sob os nobres estandartes do relacionamento, da "solução de conflitos" e do "terreno comum". Enquanto Deus quer que pratiquemos a firmeza na nossa fé, tais grupos pressionam os membros em sessões opressivas de reaprendizado que força todos a praticarem — repetidamente — a conformação de suas convicções às do grupo.
Como seu embaixador e vaso de barro, preciso seguir seu caminho estreito e rochoso. No entanto, isso é fácil e suave quando ele me toma pela mão. Preciso recusar a contemporização, devo preferir mil vezes Jesus à fama e às riquezas que o mundo possa oferecer. Um antigo hino resume bem a caminhada do discípulo de Cristo neste mundo:
Contemplação
Olhando o lenho crucial,
Em que morreu da glória o Rei,
Às honras, vida mundanal
Desprezo eterno votarei.
E não permitas, meu Senhor,
Que me glorie eu senão
Na morte do meu Redentor,
Que me salvou da perdição.
Olhai! da ensangüentada cruz,
Torrentes de tristeza e amor!
Que dor, que amor do meu Jesus,
Por mim, seu vil perseguidor!
Se o mundo inteiro fosse meu,
Seria oferta sem valor;
Tudo o que sou, Senhor, é teu -
Minha alma e todo o meu amor.

Hino 90 do Cantor Cristão




Notas de Rodapé:

1. George Barna, editor, Líderes em Ação, editora United Press, pág. 29.
2. Our Global Neighborhood, Relatório da Comissão Sobre Governança Global (Oxford, Inglaterra: Oxford University Press, 1995), pág. 12.
3. "Peter Drucker on the Church and Denominations". Este arquivo pdf está publicado no site Leadership Network, em http://www.leadnet.org/archives/netfax/1.pdf
4. Doug Murren, "O Líder Como Agente de Mudança" Líderes em Ação, United Press, págs. 220-23.
5. George Barna, editor, Líderes em Ação, United Press, pág. 7.
6. Ibidem, pág. 50.
7. Jim Van Yperen, "Conflito: O Fogo Purificador da Liderança," Líderes em Ação, United Press, págs. 262-63.
8. Stephen D. Brookfield, Developing Critical Thinkers (San Francisco: Jossey Bass, 1987), págs. 8-10. Citado por Kenneth O. Gangel, "Que Fazem os Líderes", Líderes em Ação, United Press, pág. 41.
9. Alan A. Glatthorn and Jonathan Barron, "The Good Thinker," Developing Minds: A Resource Book for Teaching Thinking (Alexandria, Virginia: The Association for Supervision and Curriculum Development, 1985), 51. Incluído em Caught in the Middle: Educational Reform for Young Adolescents in California Public Schools, Report of the Superintendent's Middle Grade Task Force (Sacramento: California State Department of Education, 1987), 14.
10. Gálatas 2:20; 2 Coríntios 5:17.



Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.
Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.
Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que ele é real e que o fim dos tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna nos céus, como se já estivesse lá. Assim, pode ter a certeza de que o Reino do Anticristo não o tocará espiritualmente. Se quiser saber como nascer de novo, vá para nossa Página da Salvação agora.
Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam a vindoura Nova Ordem Mundial, o Reino do Anticristo, nas notícias do dia-a-dia.
Se desejar visitar o site "The Cutting Edge", dê um clique aqui http://www.cuttingedge.org
Que Deus o abençoe.
Autora: Berit Kjos (Kjos Ministries, em http://www.crossroad.to)
Data da publicação: 21/4/2002
Patrocinado por: S. F. F. C. — Vargem Grande Paulista / SP
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/n1629.asp

Classificação da Perseguição Religiosa 2016!

Classificação da Perseguição Religiosa 2016!
Classificação dos 50 Países com Perseguição Religiosa, onde seguir à Jesus pode custar a vida. Atualizado em 2016.

Noticias Gospel Mais...

Parceria

O Evangelho de Jesus Cristo, alçando o Mundo!

My Instram